ESPORTESNET

No Brasil, o ciclismo foi a atividade com mais registros na plataforma; A Geração Z teve as corridas mais rápidas e os Millennials, as pedaladas mais velozes

Para 61% dos brasileiros, a falta de tempo dificulta manter uma rotina de exercícios

 Strava, principal comunidade digital para pessoas ativas com mais de 120 milhões de atletas, anunciou hoje a publicação do Ano Esportivo 2023 (Year in Sport). Trata-se de um relatório que destaca as tendências globais e brasileiras entre esportistas de várias gerações. Foram considerados dados sobre o que os motiva, os obstáculos que enfrentam e seus diferentes interesses quando se trata de manterem-se ativos.

Como parte deste relatório, o Strava conduziu uma pesquisa global com 6.990 pessoas que praticam esportes, selecionadas tanto dentro da comunidade global quanto de uma amostra aleatória de esportistas ativos dentro e fora da plataforma. Os resultados, combinados com os dados de atividade do Strava em 2023, oferecem uma visão nova e única sobre as tendências que configuram o mundo do exercício físico e da aventura, e antecipam o que se pode esperar para este ano.

Em 2023, a motivação dos ciclistas manteve-se em alta e o esporte foi mais carregado no Strava no Brasil, enquanto globalmente, a corrida se destacou. Em segundo lugar no país, ficou a caminhada e, em terceiro, a corrida. Os atletas brasileiros também decidiram viver mais aventuras off-road e continuaram computando cada vez mais atividades em bicicletas gravel mountain bikes (quarto lugar), trail runs (quinto lugar), trilhas (sexto lugar), e treinos de força (sétimo lugar)As últimas três colocações foram ocupadas por natação, pedalada virtual (ou indoor) e patinação inline (oitava, nona e décima posição, respectivamente).

Embora o esporte em grupo de duas ou mais pessoas mais registrado em 2023 mundialmente tenha sido o remo, com 40% do total, no Brasil foi novamente o ciclismo, com 36% das atividades computadas na plataforma.


Imagem: Globalmente, a corrida foi a atividade mais carregada no Strava

Em um recorte por idade, observou-se que atletas de todas as gerações afirmaram ao Strava que o principal motivo para se exercitarem com outras pessoas é a interação social. Mais da metade dos atletas da plataforma informaram que são estimulados principalmente por amigos ou familiares que praticam exercícios, e 77% dos atletas da Geração Z (nascidos entre 1995 e 2010) dizem sentir-se mais conectados uns aos outros ao ver as atividades de seus amigos ou familiares no Strava.

Quando se trata de obstáculos para se exercitar e manter uma rotina consistente, mais de dois terços dos atletas de todas as gerações e 61% dos brasileiros citaram a falta de tempo, provocada por demandas do trabalho, como a principal barreira. Outro fator de grande interferência foi o clima, com 75% dos atletas globais e 59% de brasileiros contando que o calor extremo de 2023 afetou seus planos de treinamentos, enquanto a má qualidade do ar foi mencionada por 27% dos atletas globalmente e por 23% dos atletas no Brasil.

Mobilidade

Conforme citado anteriormente, a pedalada foi a atividade mais registrada pelos brasileiros em 2023, incluindo a bicicleta elétrica. A bike foi bastante utilizada no Brasil também para locomoção e deslocamento diários. Em todo o mundo, 17% dos ciclistas que usaram o aplicativo do Strava para gravar o trajeto casa-trabalho-casa em 2023 eram da Geração Z, em contraste com os 8% de cinco anos atrás.


Imagem: Strava

No Brasil, os Millennials (nascidos entre 1995 e 2010) ficaram à frente das outras gerações no quesito mobilidade. Segundo os dados do Year in Sport 2023, nos últimos quatro anos, essa geração vem sendo a maioria entre os ciclistas que utilizam as duas rodas para se deslocar de casa ao trabalho. Em 2022, a porcentagem desta geração era de 55% e, em 2023, este número baixou para 53%, porém, manteve-se à frente da Geração X (nascidos entre 1965 até 1981), com 25%, e da Geração Z, com 17% de respostas.
 

No quesito velocidade, globalmente, a Geração Z registrou o pace médio mais rápido em corridas e pedaladas no Strava. Além disso, suas corridas foram as mais curtas e, em relação à distância, as pedaladas ficaram em segundo lugar. No Brasil, a Geração Z registrou as corridas mais rápidas, e os millennials tiveram as pedaladas mais velozes. As corridas e pedaladas da Geração Z foram as mais curtas em tempo.
 

Segundo dados do Year in Sport 2023 do Strava, o Olympikus Corre foi o tênis mais usado por brasileiros nas atividades de corrida. Também foi eleito o melhor tênis pela maioria entre homens e mulheres, assim como o tênis com maior crescimento nos últimos anos (veja imagem abaixo com as informações globais e do Brasil).


Imagem: Melhores equipamentos do ano para brasileiros e globalmente.

Horários e metas

Também sobre gerações, os registros do Strava no Brasil mostram que os Baby Boomers (nascidos entre 1945 e 1964) são o grupo etário que se exercita mais cedo. Cerca de 70% responderam que treinam antes das 10 horas da manhã aos finais de semana, enquanto a Geração Z domina os treinos após às 16 horas durante a semana, com 57% das respostas.

Os atletas do Strava têm 49% mais probabilidade de se exercitarem sem focar totalmente na sua aparência, assim como 13% dos atletas do Strava no Brasil. Atletas da Geração Z são 31% menos propensos a se exercitarem apenas por motivos de saúde, ao contrário de seus antecessores Millennials ou da Geração X, mas sim por buscarem melhor desempenho esportivo.

No Brasil, foi registrado que a principal motivação para os atletas do Strava iniciarem seus treinos é a busca por suas metas, enquanto, na pesquisa global, foi a questão de horário (se não treinar naquela hora, não consegue depois).
 


Imagem: Strava
 

Por fim, 2023 foi um ano recorde de atividades em viagens. Globalmente, os atletas Strava registraram suas corridas por mais vezes nos seguintes segmentos: Maratona de Berlim (milha 24), em Berlim, Alemanha; Sully Morland – Pont Neuf, Quais Bas, em Paris, França; e a Maratona do Rio 23m, no Rio de Janeiro (RJ). Entre os atletas brasileiros, as corridas tomaram conta dos seguintes segmentos: em primeiro lugar, a Miguel Lemos x Bolívar, no Rio de Janeiro (RJ); em segundo, a Vila Tenente Sapucaia Climb, em Florianópolis (SC); e a Tonlon Runners 200m em terceiro lugar, em São Paulo (SP).
 

Já na pedalada, o Strava global teve os seguintes segmentos com mais registros: Espanha, nas Ilhas Baleares; Auvergne-Rhône-Alpes, na França; e em Limburg, Holanda. No Brasil, os segmentos de ciclistas com mais registros foram em Campos do Jordão (SP), seguido por Estiva (MG) e São Bento do Sapucaí (SP).
 

Para acessar o relatório completo e conhecer os lugares mais populares para fazer trilhas, pedalar e correr ao redor do mundo, consulte o relatório de tendências do Ano Esportivo (Year in Sport) 2023 em:Link.
 

Sobre o Strava

Strava é a principal comunidade digital para pessoas ativas, com mais de 120 milhões de atletas em mais de 190 países. A plataforma oferece uma visão global do seu estilo de vida ativo, independentemente de onde você mora, qual esporte pratica ou qual dispositivo utiliza. Se você se esforça, já faz parte da comunidade Strava. Junte-se à comunidade, encontre motivação e viva novas experiências com uma assinatura Strava.

Nossas estatísticas:

  • Mais de 8 bilhões de atividades compartilhadas no Strava
  • Membros da comunidade em mais de 190 países
  • 40 milhões de atividades carregadas por semana
  • Mais de 30 milhões de segmentos
  • Mais de 3.000 atletas profissionais no Strava
  • Quase 10 bilhões de Kudos concedidos no ano passado
  • Mais de 10 milhões de fotos e vídeos compartilhados por semana
  • Mais de 2.000 organizações parceiras tornando suas comunidades melhores com o Strava Metro

Agência Lema

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.