As exportações de janeiro acenderam uma luz verde para os investidores do comércio exterior. O primeiro mês do ano apresentou um crescimento de 25,3% e atingiu o valor total na atividade de 19,67 bilhões de dólares, registrando o melhor resultado desde o início das medições em 1997. A alta foi acompanhada com o terceiro maior valor registrado nas importações, que foi de 19,85 bilhões de dólares e crescimento de 24,6%.

Com folga e seguindo as tendências, o produto agropecuário foi o carro-chefe do crescimento nas exportações, com 97,5% de crescimento, tendo a soja como commoditie de maior embarque para fora do Brasil. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia (Secex/ME).

Para a especialista em comércio exterior e diretora executiva da Accrom Consultoria em Logística Internacional, Cristiane Fais, mesmo diante de um cenário positivo e promissor ainda assim é importante ter cautela, avaliar o mercado e entender as possibilidades estratégicas de exportação. “Foco e estabilidade, essas são as principais linhas comerciais de negociação a serem avaliadas, tendo em vista um mercado volátil que depende de um alinhamento favorável à sua operação combinando valores cambiais, taxas de transporte e um fornecedor seguro”, esclarece.

Cristiane Fais ainda ressalta que saber operar no comércio de exportação demanda experiência e conhecimento avançado do mercado. “É importante avaliar riscos e desenvolver soluções nos mais diversos âmbitos. Isso pode ajudar não só no setor de logística da sua empresa, mas também tem reflexos nos setores de precificação, administrativo e financeiro”, conclui.