Josepp Blatter teria sido um dos que recebeu favores sexuais de acordo com a publicação

Josepp Blatter com Yves Jean-Bart, então presidentes da FIFA e Federação Haitiana.

De acordo com publicação da revista norueguesa Josimar, assinada pelo francês Romain Molina, o futebol haitiano serviu com uma espécie de rede de pedofilia e abuso sexual de jogadores, árbitros e funcionários.

A reportagem afirma que entidades como a FIFA e a Concacaf sabiam do que ocorriam, e não só eram coniventes como tinham pessoas envolvidas. Josepp Blatter, ex-presidente da FIFA é acusado de ter recebido favores sexuais em um hotel quando visitou o Haiti.

O cartola suíço, no entanto, negou as acusações após a veiculação da reportagem e afirmou que vai tomar medidas judiciais.

O chefe de toda essa rede seria o presidente da Federação Haitiana, Yves Jean-Bart, que confiscava documentos e fazia um “inferno na Terra” na vida dos atletas, segundo as vítimas do esquema.

O capitão da equipe Ernso Lawrence afirmou que ao visitar o país, era comum que dirigentes de entidades recebessem “presentes” em troca do silêncio e da omissão.

Jean-Bart, que presidiu o futebol haitiano por duas décadas, foi banido do futebol pela FIFA após reportagem do The Guardian em 2020. Na matéria, ele foi denunciado por abuso sexual de 14 atletas.

O perfil Copa Além da Copa no Twitter fez uma thread com mais esclarecimentos sobre o fato e a reportagem:

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.