google.com, pub-4023032514756267, DIRECT, f08c47fec0942fa0

ESPORTESNET

Estes “privilégios” eram o maior entrave nas negociações com os clubes

Nesta terça-feira (24/05), a Liga Brasileira de Futebol (Libra) acabou com as garantias de receita mínima para Corinthians e Flamengo, que antes causavam divisão entre os times do Brasileirão.

Agora, todos os 20 clubes participantes da Série A do Campeonato Brasileiro, incluindo Santos, São Paulo e Palmeiras, estão incluídos na cláusula de estabilidade, garantindo que recebam pelo menos o mesmo valor previsto nos contratos anteriores das emissoras.

O assunto foi motivo de divergência para os clubes do bloco.

Ao Estadão, André Sica, advogados de clubes e um dos executivos da Libra, explica:

“essa é a maneira de a Libra mostrar que está evoluindo e atenta aos interesses dos times. Havia clubes da própria Libra com essa demanda, e entendemos por bem atender “

A cláusula de estabilidade prevê que caso as receitas totais arrecadadas na edição de 2025 do Campeonato Brasileiro, primeiro ano da nova liga como organizadora da competição, sejam menores ou iguais à edição de 2023, todos os clubes vão receber o mesmo percentual de receitas deste ano. No entanto, a expectativa da Libra é de que os valores sejam superiores ao arrecadado nesta temporada.

Atualmente, a Libra é formada por 18 clubes (11 da Série A e sete da Série B: Bahia, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Guarani, Ituano, Mirassol, Novorizontino, Palmeiras, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, Sampaio Corrêa, Santos, São Paulo, Vasco e Vitória.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.