ESPORTESNET

Algumas curiosidades sobre a primeira Copa do Mundo de futebol

Para a primeira edição da Copa do Mundo, o Uruguai foi escolhido como sede. Isso aconteceu durante o Congresso Extraordinário da FIFA de 18/07/1929, em Barcelona, Espanha.

Essa escolha não foi por acaso: o país reunia diversos fatores a seu favor: além de ser bicampeão olímpico (1924 e 1928), tinha o apoio total do governo, que, inclusive, pagou os custos de viagem e hospedagem de todas as seleções e construiu o Estádio Centenário que tinha capacidade para 70 mil pessoas, e, por fim, a FIFA tinha o interesse em afastar qualquer influência do Comitê Olímpico Internacional (COI), principal entidade esportiva da Europa, levando o campeonato para a América do Sul onde ele não tinha grande representatividade.

Não houve eliminatórias, qualquer um dos 46 filiados da época poderia se inscrever e participar da Copa do Mundo. Mas, por questões políticas e econômicas, os europeus decidiram boicotar o torneio.

Para evitar que o campeonato fosse um fracasso completo, sem nenhuma seleção europeia, foi necessário uma intervenção do presidente da FIFA, Jules Rimet. Somente após isso, França, Bélgica, Romênia e Iugoslávia, se inscreveram.

Os demais pioneiros eram Estados Unidos, México, Brasil, Argentina, Chile, Bolívia, Peru e Paraguai, além do anfitrião Uruguai, 13 seleções no total.

O destaque do torneio foi a Seleção Uruguaia, que estava no ápice da melhor geração de futebolistas da história da Celeste Olímpica que contava com as estrelas Leandro Andrade, Héctor “Manco” Castro, Héctor Scarone, Pedro Cea, José Nasazzi, Pedro Petrone e Santos Urdinarán, que eram todos integrantes das delegações campeãs olímpicas de 1924 e 1928 e fizeram bonito de novo na Copa de 1930.

A final Uruguai X Argentina foi uma das mais emocionantes da história, com a seleção da casa abrindo o placar no início, seguido de empate e a virada argentina antes dos 40 minutos do 1º tempo.

Na segunda etapa a Celeste Olímpica mostrou sua garra empatando e virando o jogo. O título foi consolidado aos 44 minutos do 2º tempo, quando “Manco” Castro marcou, de cabeça, o 4º gol, fechando o jogo em 4X2. As bolas utilizadas na copa de 1930 no Uruguai foram a Tiento e T-Model.

Alguns jogadores usavam gorro para amenizar o impacto dessa bola feita de painéis de couro duro costurado à mão, o famoso capotão era quase uma pedra.

A T-Model de 12 gomos era revestida em couro, possuía uma abertura por onde entrava uma câmera de ar de borracha que depois era costurada com cadarço.

Este ficava exposto, o que transformava a partida em um tormento aos jogadores, que sofriam na hora do cabeceio e das boladas. A bola absorvia a água da chuva e ficava com quase o dobro do peso.

Na final entre Uruguai e Argentina, cada seleção exigiu jogar com seu próprio modelo da bola. No primeiro tempo, usou-se o modelo argentino Tiento, no segundo, o uruguaio T-Model.

  • Fora de combate: A primeira grave contusão da história das Copas do Mundo ocorreu durante a partida entre as seleções de Bolívia e Iugoslávia. O boliviano Gomez sofreu uma dupla fratura na perna direita.
  • Bola da vez: A rivalidade entre uruguaios e argentinos não ficou restrita à disputa do título. Momentos antes da decisão, os jogadores dos dois países discutiram sobre qual bola deveria ser usada na final.
  • Apressadinho: O árbitro brasileiro Gilberto Almeida Rêgo deu o apito final na partida entre Argentina e França quando ainda restavam seis minutos para o término do tempo regulamentar. Irritada com a atitude, pois os argentinos venciam por 1 a 0, uma multidão de uruguaios invadiu o gramado. Após a polícia retirar os torcedores, o brasileiro reiniciou o jogo, que terminou com a vitória argentina.
  • Erro de ortografia: Os bolivianos resolveram homenagear o país sede em seu jogo de estreia. Cada um dos jogadores trazia uma letra estampada na camisa, que quando em posição de foto, formava os dizeres “Viva Uruguay”. O que eles não contavam era com a indisposição gástrica de um jogador que levava uma letra “U”, que não entrou em campo. Mesmo assim a foto foi tirada: “Viva Uru…gay”!
  • Brasileiros nos extremos: O brasileiro Gilberto Almeida Rêgo foi o árbitro mais velho no Mundial, com 49 anos. O jogador mais jovem também era brasileiro, Carvalho Leite, com apenas 18 anos e 65 dias.
  • Detalhes…O cartaz elaborado para simbolizar e difundir a Copa trazia impressa a data 15 de julho a 15 de agosto, mas os jogos foram realizados de 13 a 30 de julho.
  • Cartão para quê? Mesmo sem a existência do cartão vermelho à época, De Las Casas foi o 1º a ser expulso de uma partida em Mundiais. O fato, único na Copa de 30, ocorreu na vitória da Romênia sobre o Peru por 3 a 1, quando o zagueiro peruano empurrou o árbitro chileno Alberto Warken.
  • “Feito” inédito: O chileno Carlos Vidal foi o primeiro jogador a perder um pênalti em um Mundial. Ele desperdiçou a cobrança aos 35min do primeiro tempo. Apesar disso, o Chile venceu a França por 1 a 0 com gol do atacante Guillermo Subiabre na segunda etapa da partida.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.