ESPORTESNET

Essa diferença no valor de mercado entre as duas seleções reflete a realidade do futebol atual. A Premier League, liga inglesa de futebol, é considerada uma das mais ricas e competitivas do mundo, atraindo grandes investimentos e patrocínios. Isso se reflete também no valor dos jogadores que atuam no campeonato, que tendem a ter um preço de mercado mais elevado.

Por outro lado, a seleção brasileira tem uma história rica no futebol e é conhecida por revelar grandes talentos. No entanto, o futebol brasileiro tem enfrentado desafios nos últimos anos, com a saída de jovens promessas para jogar em ligas estrangeiras e a falta de investimentos adequados nos clubes locais. Isso pode explicar a diferença no valor de mercado entre as duas seleções.

Apesar da diferença no valor de mercado, é importante ressaltar que o futebol é um esporte imprevisível e que o resultado de uma partida não pode ser determinado apenas pelo valor dos jogadores. A seleção brasileira, mesmo com um valor de mercado inferior, possui jogadores talentosos e experientes que podem fazer a diferença em campo.

O amistoso entre Brasil e Inglaterra será uma oportunidade para Dorival Júnior testar novos jogadores e avaliar o desempenho da equipe em um jogo de alto nível. Será interessante observar como os jogadores brasileiros se sairão diante de uma equipe com um valor de mercado superior, e se conseguirão impor seu estilo de jogo e conquistar um bom resultado.

Independentemente do resultado da partida, o amistoso servirá como uma preparação importante para a seleção brasileira, que terá pela frente desafios ainda maiores, como as eliminatórias para a Copa do Mundo e a própria competição em si. Será uma oportunidade para Dorival Júnior conhecer melhor seus jogadores, testar táticas e estratégias, e preparar a equipe para os desafios que estão por vir.

Rafael Ribeiro/CBF

Comparação com a Copa do Mundo de 2018

Segundo o levantamento feito pelo site Apostagolos, a última vez que a seleção brasileira enfrentou uma equipe europeia com um valor de mercado superior foi na Copa do Mundo de 2018, contra a Bélgica. Naquela ocasião, os belgas tinham um plantel avaliado em R$ 5,2 bilhões, enquanto a seleção brasileira tinha um valor de mercado de R$ 4,7 bilhões.

Os jogadores mais valiosos da Bélgica na época eram os meias Eden Hazard (R$ 814 milhões) e Kevin De Bruyne (R$ 705 milhões), além do atacante Romelu Lukaku (R$ 407 milhões). Já o Brasil contava com Neymar (R$ 814 milhões), Philippe Coutinho (R$ 353 milhões) e Gabriel Jesus (R$ 244 milhões) como seus três jogadores mais valiosos na Copa do Mundo da Rússia.

Apesar de ter enfrentado uma equipe com um valor de mercado superior, a seleção brasileira não conseguiu avançar para as semifinais da competição. O Brasil foi eliminado nas quartas de final pela Bélgica, em uma partida emocionante que terminou com o placar de 2 a 1 para os belgas.

A derrota para a Bélgica foi um duro golpe para a seleção brasileira, que tinha grandes expectativas de conquistar o hexacampeonato mundial. A equipe comandada pelo técnico Tite vinha de uma campanha sólida na fase de grupos, com duas vitórias e um empate, e havia eliminado o México nas oitavas de final.

No entanto, a Bélgica se mostrou uma equipe muito forte e organizada, com um sistema defensivo sólido e um ataque veloz e eficiente. A seleção belga abriu o placar aos 13 minutos do primeiro tempo, com um gol de Fernandinho contra, e ampliou a vantagem aos 31 minutos, com um gol de Kevin De Bruyne.

O Brasil ainda conseguiu descontar no segundo tempo, com um gol de Renato Augusto aos 76 minutos, mas não foi o suficiente para evitar a eliminação. A seleção brasileira pressionou nos minutos finais, mas não conseguiu marcar o gol de empate, e viu suas chances de avançar na competição irem por água abaixo.

Após a eliminação, a seleção brasileira voltou para casa com um sentimento de frustração, mas também com a certeza de que havia feito uma boa campanha. A equipe mostrou um futebol de qualidade e contou com grandes atuações individuais, como as de Neymar, Coutinho e Gabriel Jesus.

A Copa do Mundo de 2018 ficou marcada como mais uma competição em que o Brasil não conseguiu alcançar seu objetivo de conquistar o título. No entanto, a seleção brasileira continua sendo uma das mais fortes e respeitadas do mundo, e certamente estará entre as favoritas nas próximas edições do torneio.

Após a eliminação na Copa do Mundo de 2018, onde o Brasil foi derrotado pela Bélgica por 2 a 1, a seleção enfrentou equipes europeias em quatro oportunidades. Em todos esses jogos, o valor de mercado das equipes adversárias era significativamente inferior ao do Brasil.

O primeiro encontro foi contra a República Tcheca, em um amistoso realizado em 2019, onde o Brasil venceu por 3 a 1. Essa vitória foi importante para a seleção brasileira, pois mostrou que a equipe estava se recuperando do revés sofrido na Copa do Mundo e que ainda possuía um bom desempenho contra equipes europeias.

Em seguida, na Copa do Mundo de 2022, o Brasil enfrentou a Sérvia e venceu por 2 a 0. Foi uma partida dominante da seleção brasileira, que mostrou um futebol envolvente e eficiente. Os jogadores brasileiros demonstraram estar em sintonia e conseguiram impor seu jogo diante de uma equipe considerada mais fraca.

Na mesma competição, a seleção brasileira também venceu a Suíça por 1 a 0. Foi uma partida mais equilibrada, com chances para ambos os lados, mas o Brasil conseguiu aproveitar uma oportunidade e garantir a vitória. Mais uma vez, o valor de mercado dos jogadores brasileiros era superior ao dos suíços, o que pode ter influenciado no resultado final.

Já nas quartas de final da Copa de 2022, o Brasil empatou por 1 a 1 com a Croácia, mas acabou sendo eliminado nos pênaltis. Foi uma partida emocionante, com chances para ambos os lados, mas a seleção brasileira não conseguiu converter suas oportunidades em gols. O valor de mercado das equipes era mais equilibrado, mas ainda assim o Brasil era considerado favorito.

Em todas essas partidas, o valor de mercado das equipes europeias era consideravelmente inferior ao do Brasil na época dos jogos. Esses números mostram como o valor de mercado dos jogadores pode influenciar o desempenho das equipes em campo, mas também ressaltam a importância de outros fatores, como a tática, a preparação física e a qualidade técnica dos jogadores.

Comparativo com valor de mercado das seleções europeias campeãs do mundo

Em comparação às outras quatro seleções europeias campeãs do mundo, o Brasil só fica atrás da França em valor de mercado na convocação atual. A Alemanha tem plantel estimado em R$ 3,5 bilhões, a Itália, em R$ 4,1 bilhões e a Espanha, em R$ 4,6 bilhões. Os franceses, atuais vice-campeões mundiais, possuem elenco avaliado em R$ 6,6 bilhões.

Os jogadores com maior valor de mercado de Brasil e Inglaterra

Brasil

  • 1 – Vinicius Júnior (Real Madrid-ESP) – R$ 814 milhões
  • 2 – Rodrygo (Real Madrid-ESP) – R$ 543 milhões
  • 3 – Bruno Guimarães (Newcastle-ING) – R$ 461 milhões
  • 4 – Douglas Luiz (Aston Villa-ING) – R$ 380 milhões
  • 5 – Lucas Paquetá (West Ham-ING) – R$ 352 milhões

Inglaterra

  • 1 – Jude Bellingham (Real Madrid-ESP) – R$ 977 milhões
  • 2 – Bukayo Saka (Arsenal-ING) – R$ 705 milhões 
  • 3 – Phil Foden (Manchester City-ING) – R$ 705 milhões
  • 4 – Declan Rice (Arsenal-ING) – R$ 597 milhões
  • 5 – Harry Kane (Bayern Munich-ALE) – R$ 597 milhões

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.