O amor ao futebol deve ser maior do que o amor a vida? Tanto a ponderar…

Mais de 200 mil mortos com a pandemia e o mais incrível é que o futebol brasileiro discute a continuidade ou não de alguns torneios em meio a pandemia todas as dificuldades enfrentadas pelas federações dos últimos meses só revela a incapacidade e a insensibilidade daqueles que gerenciam a paixão nacional o futebol brasileiro se encontra numa lacuna de insensibilidade e responsabilidade total com relação a sua administração.

Vimos um Campeonato Brasileiro insensível e totalmente desregulado onde A CBF não consegue implantar nenhum protocolo para gerenciamento do vale muito menos saber implantar protocolos para agir durante a pandemia os casos de times que ficaram totalmente desfalcadas durante a competição devido aos altos números de contaminados pelo covid-19 na falta de gerenciamento que existe dentro da Confederação Brasileira de futebol.

A entidade máxima não tem capacidade para gerenciar o próprio campeonato, imagine as modestas federações estaduais espalhadas pelo país como solicitar que clubes do Acre do Amapá do Sergipe ou de outros estados menos favorecidos financeiramente e seu futebol consiga realizar sem 200 testes de covid em todas as rodadas.

No que tange a segurança das torcidas e das pessoas que a cercam o negócio futebol mostra total irresponsabilidade e desrespeito para com os seus patrocinadores e seus torcedores, o combustível principal da paixão nacional o futebol é o patrimônio cultural de nossa nação e para tanto é necessário que sim exige responsabilidade e cuidado no que diz respeito à administração desse patrimônio tão importante para a geração de empregos renda e também de diversão para o povo o futebol é sim muito valioso na nossa cultura até para quem não gosta dele mas não podemos negligenciar que estamos com hospitais lotados falta de médicos e principalmente falta de vacinas o país que dá lição ao mundo em vacinação não está conseguindo vacinar sua própria população.

Se não estamos conseguindo isso porque vamos querer tem mar em realizar os campeonatos estaduais onde a maioria das equipes que disputam são equipes com poucos recursos financeiros, baixíssima estrutura, algumas tem dificuldade até para pagar médicos para acompanhar as suas equipes como elas vão ter dinheiro para garantir exames a todos não é barato não é fácil e as federações que nadam em dinheiro nada fazem para ajudar os pequenos.

É muito fácil falar em tudo isso quando a gente fala de Flamengo, Palmeiras, Corinthians São Paulo, Santos, Fluminense e outros que vivem uma realidade diferente de um modesto Tupinambá, América e tantos, que vivem contando moedas para garantir o salário daqueles poucos atletas que acreditam no sonho de um dia viver do futebol.

 O futebol da pandemia é o futebol da realidade, do raio-x da crueldade da sociedade nacional onde poucos abnegados estão aí vivendo numa bolha de tranquilidade e conforto enquanto a grande maioria vive o sofrimento do dia a dia da incerteza do dia seguinte em meio às perdas pela doença e com o desemprego, a fome e a insegurança social.

Lógico é só um dos pontos de vista, afinal, não podemos deixar de pensar que a paralisação do esporte também ajuda a engrossar o desemprego e os problemas na economia ainda mais, são tantos problemas causados pela pandemia, temos que zelar e ao mesmo tempo não podemos parar…muito complicado não?

Quero sua opinião, diga ai…

Deixe seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.