Últimas ofertas foram entregues hoje e restam três interessados

Um consórcio liderado pela família Ricketts, dona do Chicago Cubs, se retirou da corrida para comprar o Chelsea, clube da Premier League, disse a família nesta quinta-feira (15). Agora, restam três interessados.

As últimas ofertas pelo clube foram enviadas na quinta (15). A equipe foi colocada à venda pelo dono, Roman Abramovich, antes de o governo britânico impor sanções ao oligarca devido à invasão da Ucrânia pela Rússia.

A família Ricketts, que havia se juntado aos bilionários norte-americanos Ken Griffin e Dan Gilbert, fez uma oferta em dinheiro e havia sido incluída na lista final de quatro interessados produzida pelo banco norte-americano Raine Group, que está supervisionando a venda.

Com a surpreendente retirada da família Ricketts, restam como interessados no Chelsea os grupos liderados por Todd Boehly, um dos donos do LA Dodgers; o ex-chairman do Liverpool, Martin Broughton; e um dos proprietários do Boston Celtics, Steve Pagliuca.

A família Ricketts se reuniu com grupos de torcedores após surgirem notícias de que 77% dos membros do Chelsea Supporters’ Trust (CST) não apoiavam sua oferta pelo clube.

A reação ocorreu em resposta a um vazamento de emails de 2019, em que o empresário Joe Ricketts descreveu muçulmanos como seus “inimigos”. Joe não estava envolvido na oferta pelo Chelsea, que era liderada por seus filhos Laura e Tom.

No entanto, fontes próximas ao negócio disseram à Reuters que a retirada não foi causada pela reação dos torcedores, mas por diferenças entre os membros do consórcio.

Eles ressaltaram uma lista de comprometimentos se a oferta fosse bem-sucedida, dizendo que jamais permitiriam que o clube da Premier League participasse de uma Super Liga europeia, enquanto também avaliavam a opção de remodelar o estádio Stamford Bridge.

Brasileiro na pauta

Cofundador do Facebook ao lado de Mark Zuckerberg, o brasileiro Eduardo Saverin entrou em um grupo de investidores, liderado por Steve Pagliuca, que irá fazer uma oferta para comprar o Chelsea.

O grupo de investidores conta, ainda com o canadense Larry Tanenbaum, chairman da NBA, e o fundador do fundo Passport Capital, John Burbank. As informações iniciais são publicadas pela emissora de TV britânica Sky News.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.