ESPORTESNET

Quando hoje conversamos sobre SAF, clube empresa, modelo de gestão, alguns clubes já faliram, voltaram e outros, simplesmente sumiram

O futebol para o torcedor é paixão, sentimento puro. Mas para dirigentes e empresas é um negócio, onde, quando mal administrado pode levar a entidade a falência. A seguir, alguns casos de clubes que faliram, renasceram e outros que desapareceram.

Parma

O Parma, uma das forças da Itália nos anos 90, que já teve em seu elenco jogadores como Taffarel, Alex, Amoroso, Verón, Crespo, Canavarro e Buffon, decretou falência em 2015 após acumular dívida de mais de R$ 800 milhões.

Com o processo, a equipe foi rebaixada para a Série D, quarta divisão do Calcio onde só times amadores jogam, e teve de trocar de nome, antes denominada Parma Football Club, a agremiação passou a se chamar Parma Calcio 1913.

O clube se reergueu graças a um grupo de empresários locais e hoje é controlado por um investidor chinês. Atualmente, o Parma disputa a primeira divisão do Campeonato Italiano.

Napoli

Crédito: Getty Images

Prestes a conquistar o “scudeto” do calcio Italiano após 33 anos, a Azzurri passou por tempos difíceis no começo dos anos 2000.

O clube foi condenado à falência pela justiça local e expulso da liga que organizava a Serie A, tendo que recomeçar na terceira divisão. O responsável por ressuscitar o time foi o produtor de cinema Aurélio de Laurentis.

Rangers

Crédito: SNS Group

O maior campeão escocês da história, com 54 títulos nacionais, deixou de existir em 2012.

Com dívidas de mais de R$ 600 milhões, o tradicional Glasgow Rangers, fundado em 1872, faliu tendo que ser refundado com o nome de The Rangers e recomeçar a sua história na quarta divisão da Escócia.

O Rangers só conseguiu retornar à elite quatro anos mais tarde e viu seu arquirrival Celtic assumir a hegemonia do futebol escocês.

Fiorentina

Crédito: Twitter

Em 2002, a Viola teve que fechar as portas, mudar de nome e se desfazer de grandes jogadores como o português Rui Costa e o goleiro Francesco Toldo, além de ser rebaixada à série C2, equivalente a terceira divisão do futebol italiano.

A Fiorentina foi o primeiro time da Itália a disputar uma final de Liga dos Campeões da Europa, em 1957, quando o torneio ainda chamava-se Copa Europeia e hoje está de volta à Série A.

Torino

Crédito: VALERIO PENNICINO (Getty Images)

O tradicional clube italiano já sofreu muito em sua história.

Uma destas “chagas” foi a falência do time, fato só superado pelo trágico acidente aéreo que vitimou todo os jogadores e comissão técnica, em 1949.

No começo dos anos 2000, a equipe sofria com uma grave crise financeira e estava na disputa da série B em 2005. Naquele ano, a equipe conseguiu o acesso à primeira divisão, mas foi impedida de jogar o campeonato por não possuir garantias financeiras e teve a falência decretada.

O clube foi comprado por um empresário italiano, tornou-se uma empresa e teve que rebatizar o nome.

Borussia Dortmund

Quase ninguém sabe, mas o tradicional clube alemão já passou poucas e boas.

Entre 2002 e 2005, o clube chegou ao fundo do poço.

A equipe só não foi extinta por conta que vendeu seus principais jogadores da época e reduziu salários. O Bayern de Munique, seu maior rival, ainda ajudou com empréstimos.

New York Cosmos

O time que contou com lendas como Franz Beckenbauer, Pelé, Neeskens e Carlos Alberto Torres não poderia sumir tão facilmente, mas foi assim que aconteceu.

A NASL, então principal liga norte-americana de futebol, durou apenas até 1984 e todas suas equipes sumiram.

O Cosmos não entrou na MLS, que começou em 1996, mas voltou a existir em 2010, com a recriação da NASL como uma liga alternativa. Em 2015, inclusive, contou com o atacante Raul González, ídolo do Real Madrid.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.