Todos os campeões nacionais de futebol da Série A

Campeonato Brasileiro de Futebol, popularmente chamado Brasileirão, é a principal competição nacional disputada entre clubes. Atualmente, é dividida em quatro divisões: Séries A, B e C, com 20 times cada uma, e Série D, com 68.

primeira edição oficial do Campeonato Brasileiro foi realizada em 1971, no entanto, em 2010, dois torneios realizados antes da década de 1970 foram reconhecidos como competições nacionais: a Taça Brasil e a Taça de Prata. Hoje, a história do Campeonato Brasileiro é contada a partir da Taça Brasil.

Campeões Brasileiros de Futebol desde 1959

AnoCampeãoViceFinalObs
1959Bahia (BA)Santos (SP)Taça Brasil
1960Palmeiras (SP)Fortaleza (CE)3x1, 8x2Taça Brasil
1961Santos (SP)Bahia (BA)1x1, 5x1Taça Brasil
1962Santos (SP)Botafogo (GB)4x3, 1x3, 5x0Taça Brasil
1963Santos (SP)Bahia (BA)6x0, 2x0Taça Brasil
1964Santos (SP)Flamengo (GB)4x1, 0x0Taça Brasil
1965Santos (SP)Vasco (GB)5x1, 1x0Taça Brasil
1966Cruzeiro (MG)Santos (SP)6x2, 3x2Taça Brasil
1967Palmeiras (SP)Náutico (PE)3x1, 1x2, 2x0Taça Brasil
1968Botafogo (GB)Fortaleza CE)2x2, 4x0Taça Brasil
1971Atletico MineiroSão Paulo-Campeonato Brasileiro
1972PalmeirasBotafogo0 x 0Campeonato Brasileiro
1973PalmeirasSão Paulo-Campeonato Brasileiro
1974Vasco da GamaCruzeiro2 x 1Campeonato Brasileiro
1975InternacionalCruzeiro1 x 0Campeonato Brasileiro
1976InternacionalCorinthians2 x 0Campeonato Brasileiro
1977São PauloAtletico Mineiro0 x 0 (3x2 penais)Campeonato Brasileiro
1978GuaraniPalmeiras1 x 0 e 1 x 0Campeonato Brasileiro
1979Internacional (Invicto)Vasco da Gama2 x 0 e 2 x 1Campeonato Brasileiro
1980FlamengoAtletico Mineiro0 x 1 e 3 x 2Campeonato Brasileiro
1981GrêmioSão Paulo2 x 1 e 1 x 0Campeonato Brasileiro
1982FlamengoGrêmio1 x 1, 0 x 0 e 1 x 0Campeonato Brasileiro
1983FlamengoSantos1 x 2 e 3 x 0Campeonato Brasileiro
1984FluminenseVasco da Gama1 x 0 e 0 x 0Campeonato Brasileiro
1985CoritibaBangu1 x 1 (6x5 penais)Campeonato Brasileiro
1986São PauloGuarani1x1, 3x3 (4x3 penais)Campeonato Brasileiro
1987 (1)SportGuarani1 x 1 e 1 x 0Copa União
1988BahiaInternacional2 x 1 e 0 x 0Campeonato Brasileiro
1989Vasco da GamaSão Paulo1 x 0Campeonato Brasileiro
1990CorinthiansSão Paulo1 x 0 e 1 x 0Campeonato Brasileiro
1991São PauloBragantino1 x 0 e 0 x 0Campeonato Brasileiro
1992FlamengoBotafogo3 x 0 e 2 x 2Campeonato Brasileiro
1993PalmeirasVitória1 x 0 e 2 x 0Campeonato Brasileiro
1994PalmeirasCorinthians3 x 1 e 1 x 1Campeonato Brasileiro
1995BotafogoSantos2 x 1 e 1 x 1Campeonato Brasileiro
1996GrêmioPortuguesa de Desportos0 x 2 e 2 x 0Campeonato Brasileiro
1997Vasco da GamaPalmeiras0x 0 e 0 x 0Campeonato Brasileiro
1998CorinthiansCruzeiro2 x 2, 1 x 1 e 2 x 0Campeonato Brasileiro
1999CorinthiansAtletico Mineiro2 x 3, 2 x 0 e 0 x 0Campeonato Brasileiro
2000Vasco da GamaSão Caetano1 x 1 e 3 x 1Copa JH
2001Atletico ParanaenseSão Caetano4 x 2 e 1 x 0Campeonato Brasileiro
2002SantosCorinthians2 x 0 e 3 x 2Campeonato Brasileiro
2003CruzeiroSantospontos corridosCampeonato Brasileiro
2004SantosAtletico Paranaensepontos corridosCampeonato Brasileiro
2005CorinthiansInternacionalpontos corridosCampeonato Brasileiro
2006São PauloInternacionalpontos corridosCampeonato Brasileiro
2007São PauloSantospontos corridosCampeonato Brasileiro
2008São PauloGrêmiopontos corridosCampeonato Brasileiro
2009FlamengoInternacionalpontos corridosCampeonato Brasileiro
2010FluminenseCruzeiropontos corridosCampeonato Brasileiro
2011CorinthiansVasco da Gamapontos corridosCampeonato Brasileiro
2012FluminenseAtlético-MGpontos corridosCampeonato Brasileiro
2013CruzeiroGrêmiopontos corridosCampeonato Brasileiro
2014CruzeiroSão Paulopontos corridosCampeonato Brasileiro
2015CorinthiansAtlético Mineiropontos corridosCampeonato Brasileiro
2016PalmeirasSantospontos corridosCampeonato Brasileiro
2017CorinthiansPalmeiraspontos corridosCampeonato Brasileiro
2018PalmeirasFlamengopontos corridosCampeonato Brasileiro
2019FlamengoSantospontos corridosCampeonato Brasileiro

História

Criada pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD), atual CBF, em 1959, a Taça Brasil é considerada a primeira competição nacional entre clubes de futebol. A criação do torneio tinha o objetivo de substituir o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, que era uma competição disputada entre os melhores times dos estados do Brasil.

Esquadrão do Bahia, o primeiro campeão nacional em 1959

A Taça Brasil reunia as equipes campeãs estaduais do país e dava ao campeão o direito de representá-lo na Copa dos Campeões da América (Copa Libertadores da América) que, naquela época, reunia os campeões de cada país da América do Sul.

As primeiras edições da Taça Brasil foram disputadas com jogos de mata-mata, pois, devido às complicações de locomoção e transporte da época, era difícil organizar um torneio nacional mais integrado, em um país com dimensões tão grades como o Brasil.

O primeiro campeonato teve a participação de 16 equipes campeãs estaduais, e os campeões do estado de São Paulo e do Distrito Federal — na época, a capital do Brasil era o Rio de Janeiro — entraram na fase final. A equipe do Bahia foi a primeira a conquistar o título da competição e a vaga para representar o Brasil na Copa dos Campeões da América de 1960, após vencer o Santos na final.

Em 1967, o Torneio Rio-São Paulo, que era uma competição interestadual disputada por times do Rio de Janeiro e de São Paulo, foi ampliado para âmbito nacional e recebeu o nome de Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o “Robertão”, em homenagem ao goleiro Pedrosa, do São Paulo e da Seleção Brasileira da Copa 1934, que morreu em 1954 como presidente da Federação Paulista. O Robertão foi disputado paralelamente à Taça Brasil.

A partir da segunda edição, o torneio Robertão passou a ser chamado de Taça de Prata. A competição acabou agradando os clubes e torcedores, já que foi a primeira a reunir os principais times do país com os melhores jogadores. Com isso, a média de público do campeonato aumentou, já que os jogos tinham um nível melhor, e a competição começou a ter mais credibilidade e uma cobertura intensa da mídia. A consequência foi que o torneio ficou mais lucrativo para as equipes participantes, que começaram a ter um interesse maior pela competição.

O sucesso do Robertão fez com que a CBD decidisse, em 1971, transformar o torneio em um Campeonato Nacional de Clubes.

Campeonato Nacional, Copa Brasil e Taça Ouro

Entre 1971 e 1973, o recém-criado Campeonato Nacional de Clubes era disputado no mesmo formato que a Taça de Prata. No entanto, o número de equipes aumentou de 17 para 20, e foi criada uma segunda divisão. O Atlético-MG foi o primeiro campeão, em 1971.

Durante os primeiros anos de Campeonato Nacional de Clubes, o futebol sofreu interferência política da Ditadura Militar. Em 1975, o presidente da CBD, João Havelange, deixou o comando da instituição para assumir a FIFA, e o almirante Heleno Nunes assumiu a CBD.

Visando agradar os coronéis de regiões em que o futebol não tinha muita visibilidade e criar um sentimento de integração nacional, o almirante Heleno elevou para mais de 90 o número de equipes do campeonato nacional. Com essa mudança, a competição mudou novamente de nome e passou a ser chamada Copa Brasil.

Em 1979, a CBD foi desmembrada para a criação da Confederação Brasileira de Futebol, a CBF, que era voltada especificamente para o futebol. No ano seguinte, com a nova instituição, o torneio passou a ser chamado Taça de Ouro e, pela segunda vez, contou com duas divisões. Um ano depois, foi criada a terceira divisão.

Clube dos 13 e Copa União

No final da década de 1980, o Brasil sofria uma crise econômica e muitos clubes e federações foram atingidos por essa situação. Com isso, a CBF anunciou, em 1987, que não conseguiria manter um campeonato nacional e sugeriu a volta de como era na Taça Brasil, com jogos regionalizados.

Os 13 clubes mais fortes economicamente rejeitaram a ideia da CBF, formaram uma instituição chamada Clube dos 13 e criaram o próprio campeonato: a Copa União. Em conjunto com a CBF, foi definido que a Copa União seria o Módulo Verde da Copa Brasil, enquanto a CBF organizaria o Módulo Amarelo. A proposta era que os campeões e vice-campeões de cada módulo teriam que se enfrentar, na final, para definir os dois representantes do Brasil na Libertadores de 1988.

O Flamengo e o Internacional foram, respectivamente, campeão e vice-campeão da Copa União, mas se negaram a disputar o quadrangular com o campeão e vice do Módulo Amarelo, que foram o Sport e o Guarani. O Conselho Nacional de Desportos (CND) — órgão extinto que era responsável pela regulação e regulamentação de todos os esportes, federações e confederações — considerou o Flamengo como o campeão brasileiro de 1987, enquanto a CBF considerou o Sport. A disputa, então, foi parar na Justiça comum.

Em 1988, a divisão entre Clube dos 13 e CBF terminou e a Copa Brasil foi disputada com 24 equipes. Pela primeira vez, a competição teve também um sistema de acesso e rebaixamento para atender as exigências da FIFA.

Enfim, Campeonato Brasileiro

A CBF pretendia enxugar ainda mais o torneio, e, com isso, muitos clubes menos expressivos deixaram de fazer parte do campeonato nacional. Para evitar suas extinções, a CBF criou uma competição secundária, a Copa do Brasil, que poderia reunir clubes de todos os estados. Evitando confusão entre os nomes dos torneios, a Copa Brasil passou a ser chamada Campeonato Brasileiro, em 1989.

Em 1999, o torneio adotou um novo formato para o rebaixamento, determinando que cairiam para a Série B os quatro clubes que tivessem a menor média de pontos nos campeonatos de 1998 e 1999. O sistema só durou uma temporada. Na primeira fase da competição, foi descoberto que um jogador do São Paulo estava registrado de forma irregular, e a CBF decidiu punir o clube anulando os jogos em que participou. Com isso, Internacional e Botafogo ganharam pontos que levaram o Gama ao rebaixamento. A equipe resolveu, então, processar a CBF, que não pôde organizar o torneio em 2000.

Novamente, o Clube dos 13 voltou a organizar o campeonato, que, naquele ano, teve o nome de Copa João Havelange e contou com a participação de Fluminense e Bahia como convidados, já que ambos estavam na Série B. O campeonato foi dividido em quatro módulos (azul, amarelo, verde e branco), com a participação de 116 times. A final foi entre Vasco, do Módulo Azul, e São Caetano, do Módulo Amarelo, e o time do Rio de Janeiro foi o campeão em uma final tumultuada e marcada pelo desabamento do alambrado do estádio São Januário.

Pontos corridos e fim do mata-mata

Com mais de 40 anos sendo realizado, o Campeonato Brasileiro não tinha estabilidade nas regras e nem um sistema padrão de disputas, sendo realizado em um formato diferente em quase todos os anos. Em 2003, a história mudou. O torneio adotou o formato de pontos corridos, que é realizado até os dias atuais. Nesse modo de disputa, todos jogam contra todos em turno e returno. O Cruzeiro foi o primeiro campeão desse formato, entre as 24 equipes participantes da Série A.

Com um formato estabelecido no torneio, outro tipo de polêmica surgiu em 2005. O árbitro Edílson Pereira de Carvalho foi preso após ser acusado de manipular os resultados dos jogos para garantir o lucro de empresários que investiam em sites de jogos. O escândalo ficou conhecido com Máfia do Apito e fez com que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) anulasse 11 jogos apitados pelo árbitro.

O número de 20 participantes foi definido no torneio de 2006, com os quatro melhores times classificando-se para a Copa Libertadores, e os quatro piores sendo rebaixados para a Série B.

Nomes do Campeonato Brasileiro:

  • 1959 a 1968: Taça Brasil
  • 1967 a 1970: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Robertão) ou Taça de Prata
  • 1971 a 1974: Campeonato Nacional de Clubes
  • 1975 a 1979: Copa Brasil
  • 1980: Taça de Ouro e Copa Brasil
  • 1987 e 1988: Copa União
  • 1989 a 1999: Campeonato Brasileiro
  • 2000: Copa João Havelange
  • 2001 e 2002: Campeonato Brasileiro
  • 2003 até hoje: Campeonato Brasileiro – Série A

Taça das Bolinhas

Em 1975, a Caixa Econômica Federal criou o troféu Copa Brasil para ser entregue aos campeões brasileiros. A ideia era que o time campeão recebesse o troféu e depois o devolvesse ao banco, mas o primeiro clube que ganhasse o campeonato três vezes seguidas ou cinco vezes no total, a partir de 1975, poderia ficar com o troféu em definitivo. Devido ao seu formato, o troféu foi apelidado de Taça das Bolinhas.

Campeão brasileiro de 1992, o Flamengo considerava que havia ganhado seu quinto título (1980, 1982, 1983, 1987, 1992). No entanto, como o título de 1987 estava na Justiça, a CBF interrompeu a entrega da Taça das Bolinhas e o assunto ficou “esquecido” por 15 anos.

Em 2007, o São Paulo foi campeão brasileiro pela quinta vez e solicitou a Taça das Bolinhas. Além disso, no ano seguinte, o clube paulista foi campeão pela terceira vez consecutiva. Em 2011, o troféu, enfim, foi entregue ao São Paulo, mas teve que ser devolvido à Caixa no ano seguinte, por determinação judicial. A Justiça ainda não havia determinado o verdadeiro campeão de 1987.

Depois de 30 anos, em 2018, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em última instância, que o Sport era o único campeão brasileiro de 1987. A decisão garante ao São Paulo o direito de ficar com a Taça das Bolinhas, mas, até o momento, ela não foi entregue pela Caixa.

Deixe seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.