Chegou ao fim o ciclo de Domènec Torrent no comando do Flamengo. Um dia após a goleada sofrida para o Atlético-MG por 4 a 0, no último domingo(7), em Belo Horizonte, pela 20ª rodada da Campeonato Brasileiro Série A, o Rubro Negro anunciou a demissão do técnico treinador após 26 jogos, e com um aproveitamento de 63,8%.



A situação de Domè que já era questionada, ficou ainda pior após o Rubro-negro sofrer oito gols, nas duas últimas rodadas do Brasileirão e saiu de campo com duas goleadas: 4 a 0 para o Galo e 4 a 1 para o São Paulo. O setor defensivo da equipe carioca vem sendo constantemente criticado, uma vez que são 38 gols sofridos em 26 jogos, tornando-se a segunda defesa mais vazada do torneio nacional.

Domènec chegou ao Flamengo no no fim de julho com a missão de substituir o português Jorge Jesus. Ele acertou vínculo após a diretoria ir à Europa e avaliar nomes como o do espanhol Fernando Hierro e dos portugueses José Peseiro e Carlos Carvalhal.

O início do Rubro-negro sobre o seu comando foi cambaleante e recheado de dúvidas — o rodízio implementado pelo treinador no time titular sempre foi alvo de discussão. A derrota por 5 a 0 para o Independiente del Valle, do Equador, na Libertadores, já havia posto Dome na corda bamba. Porém, pouco depois, o Fla conseguiu engatar uma sequência invicta e aliviar o clima.

Mesmo diante de bons resultados, Domènec nunca chegou a ser unanimidade entre a torcida e até mesmo alguns integrantes da diretoria. Os recentes resultados negativos acabaram se tornando a gota d’água para o fim da relação.

Nomes como o do ex-treinador do Palmeiras Vanderlei Luxemburgo e do treinador do Fortaleza, Rogério Ceni e Eduardo Coudet, foi Internacional, são os mais cotados para assumir o clube carioca.

Deixe seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.