Discussões sobre saúde mental têm se tornado cada vez mais comuns. Com a pandemia, o agravamento de doenças mentais impulsionou discussões sobre a importância de se cuidar para além das questões físicas. A solução, segundo especialistas, vai desde um maior autoconhecimento, com acompanhamento profissional, até dias longe da rotina a fim de combater os sintomas. Pesquisa recente da American Express mostrou que 76% dos entrevistados planejam gastar mais em viagens e experiências que fortaleçam seu bem-estar mental e físico. Desde que garantida a segurança, os benefícios são inúmeros.

Somam-se 322 milhões de pessoas que sofrem com depressão, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Entre a população brasileira, são 11,5 milhões — cerca de 5,8%, acima da média global, que é de 4,4%. O órgão apontou, ainda, que a doença deve se tornar a mais comum do mundo em 2030. Em busca de uma solução, grande parte dos estudos sugere uma abordagem terapêutica que contemple tanto medicamentos como psicoterapia. Entretanto, experiências proporcionadas ao viajar são aliadas no cuidado com a saúde mental e ajudam a lidar com quadros provenientes da pandemia.

Diante de tantos proveitos que uma viagem pode ter, muitos tornaram-se ainda mais relevantes atualmente. Já é de conhecimento de todos que viajar é bom para o bem-estar físico, mas pesquisas científicas sugerem que explorar um novo lugar também pode fazer maravilhas para a saúde mental e emocional, conforme o estudo do livro “Psychodynamic Perspectives on Aging and Illness”, da Dra. Tamara McClintock Greenberg, psicóloga clínica baseada em São Francisco e de acordo com a especialista em viagens solo e fundadora da Trusted Travel Girl, Valerie Wilson.

De acordo com um artigo publicado pela Forbes, viajar traz inúmeros benefícios para a sua saúde mental, como, por exemplo: reduzir o estresse da vida cotidiana; ajudar a se reinventar; aumentar os níveis de felicidade e satisfação; tornar-se mentalmente resiliente; aumentar a criatividade.

Não é surpresa, portanto, o franco crescimento do chamado “wellness travel”: bem-estar, cada vez mais importante nas viagens. Gradualmente, mais viajantes estão procurando opções de viagens que fortaleçam seu bem-estar mental e físico. Dos 76% dos entrevistados na pesquisa da American Express que planejam gastar mais em viagens focadas em bem-estar, 55% afirmam estar plenamente dispostos a pagar mais por esse tipo de serviço ou produto. Ou seja, as pessoas  têm se revelado ávidas para viajar, mas, de acordo com a maioria, na condição de garantir a segurança.

Vários países ao redor do mundo já exigiam seguro-viagem e, cada vez mais, novos destinos estão requisitando este comprovante para emissão de vistos e entrada em seus territórios. Seja em razão das novas regras dos destinos ou da nova percepção de segurança, prova de que este item conquistou uma parcela maior de viajantes é o aumento das vendas de seguro-viagem: houve um aumento de 30% na procura dos produtos de seguro-viagem, segundo informações do Valor Investe.

“Percebemos este novo perfil de viajante desde meados de 2021, que tornou a busca por seguro-viagem um dos principais pré-requisitos antes de viajar e o intuito tem sido comprar produtos mais completos e robustos, ademais apenas da negociação de preços. Ainda, em novembro de 2021, registramos um aumento de 23% nas vendas de nossos produtos de seguro-viagem quando comparado ao mesmo mês de 2019.”, afirma Claudia Brito, Sócia e Head Comercial da Coris Seguro Viagem, uma das empresas do segmento que registrou tal crescimento.  “Poder viajar com segurança é como ter de volta à normalidade, que é o principal desejo de todos”.

Portanto, para evitar pensamentos negativos que podem atrapalhar todo o andamento da viagem e as aflições causadas por doenças mentais, garantir a segurança de todos pode ser a melhor maneira de fazê-lo, indo de encontro ao objetivo principal da Wellness Travel, que é o bem-estar cada vez mais importante nas viagens. Inclusive, porque a pandemia não acabou, mas a necessidade de viajar é legítima e muito positiva.