ESPORTESNET

Criado em meados de 1987 na província de Ravenna, localizada na Itália, o beach tennis começou a se profissionalizar em 1996. A modalidade chegou ao Brasil em 2008, no Rio de Janeiro, e de lá para cá vem ganhando cada vez mais adeptos. O esporte ganhou popularidade, inclusive, nas cidades não litorâneas.

Segundo a Confederação Brasileira de Tênis (CBT), a estimativa é de que atualmente cerca de 2 milhões de pessoas espalhadas em todos os continentes optaram pelo beach tennis. O Brasil é uma das maiores forças da modalidade no mundo e vem ganhando cada vez mais adeptos. A entidade estima que cerca de 1,1 milhão de indivíduos praticam a modalidade no País, mais que o dobro em comparação a 2019.

O médico Vagner Messias Fruehling, ortopedista do Hospital VITA, especialista em tratamento e cirurgia de ombro e cotovelo, de Curitiba, explica que o aumento da procura por atividades físicas tem sido visto a cada dia. Ele conta que as pessoas buscam praticar algum exercício para condicionamento físico ou como alternativa para realizar um esporte. Dentro desse conceito, tem-se percebido o aumento da procura pelo beach tennis, em áreas urbanas e clubes. “Com essa crescente popularização, alguns cuidados são necessários para executar com saúde e experimentar os benefícios dessa atividade”, destaca o ortopedista. 

O Dr. Vagner alerta a necessidade de manter alguns cuidados. Deve-se dar atenção para os efeitos do sol, sendo necessário ingerir água para manter o corpo hidratado. O médico aponta também a necessidade do aquecimento das articulações e da musculatura, os quais são indispensáveis. “As queixas ortopédicas são frequentes em ombro e cotovelo, mas não se pode esquecer de lesões dos membros inferiores pelas torções do tornozelo na areia, ocasionando fraturas e lesões ligamentares”, relata o especialista.

Nos membros superiores, a dor no ombro pela posição do braço elevado, tem feito com que os pacientes busquem atendimento médico. A frequência excessiva de partidas causa sobrecarga muscular e articular trazendo dores frequentes. O médico conta que a dor no cotovelo é comum, e muito conhecida no meio ortopédico, pois o tenista apresenta com frequência, em uma situação conhecida como cotovelo do tenista. É o mesmo problema, só que agora visto no beach tennis. “O paciente apresenta dor na região externa do cotovelo, às vezes com inchaço, ocasionado pela ação de agarrar a raquete e fazer movimentos repetidos”, aponta o cirurgião.

O tratamento sem cirurgia é o mais comum, iniciando com o uso de medicações e compressas de gelo, que geralmente atenuam os sintomas. Na persistência dos sintomas, deve-se buscar uma avaliação com ortopedista.  “Fazer uma atividade física é extremamente importante para a saúde, devendo, também, ser prazerosa. Mas cautela é fundamental, a pessoa deve evitar excessos e aproveitar os benefícios de cada esporte”, alerta o Dr. Vagner.