ESPORTESNET

Os testículos possuem duas funções primordiais – produzir os hormônios masculinos, como a testosterona, e as células reprodutivas masculinas (espermatozoides). Por serem muito sensíveis, até mesmo uma leve lesão pode ocasionar dores fortes na região, irradiar para a virilha e chegar ao abdômen.  As dores na região dos testículos podem ter diversas causas – hérnia inguinal, traumas, infecção bacteriana, câncer e torção.

A torção testicular é uma situação em que o testículo se torce em volta do cordão espermático, diminuindo a circulação de sangue. O médico Paulo de Almeida Rocha, urologista do Hospital VITA, explica que a principal causa é uma má implantação do tecido que sustenta os testículos, permitindo que possam rodar livremente, levando ao surgimento da torção. O problema ocorre na maioria das vezes em adolescentes e adultos jovens, podendo aparecer também em outras fases da vida.

O Dr. Paulo relata que a torção testicular, causa preocupação aos pais, pois a criança ou o adolescente apresenta um quadro súbito de dor aguda e intensa na bolsa testicular, podendo irradiar para a região inferior do abdômen e para a virilha. Além disso, podem ocorrer náuseas e vômitos devido à intensidade da dor, junto a um quadro de vontade de urinar frequente, levando eventualmente à hipótese de uma cólica renal. “Geralmente a dor é contínua, mas pode cessar ou até mesmo ser intermitente caso a torção se desfaça de uma maneira espontânea, em especial quando ela não é completa, mas de qualquer forma deve ser investigada”, destaca o especialista.

Segundo o médico, a incidência do problema pode aumentar em dias de temperaturas mais baixas, pois a situação favorece a torção testicular em quem tem má formação na fixação dos testículos à bolsa escrotal. “No frio, os testículos se movimentam mais e há maior o risco de que eles girem sobre o seu eixo, provocando a torção, que resulta no fechamento dos vasos sanguíneos que nutrem o órgão, bloqueando a oxigenação. Se a distorção não for realizada a tempo, o órgão infartado morre”, alerta o Dr. Paulo. 

O médico conta ainda que a torção pode ocorrer também após um trauma durante a adolescência, quando o crescimento é muito rápido, ou por consequência da prática frequente de atividades esportivas nessa faixa etária.

O que fazer na presença de dor testicular aguda em qualquer idade?

 O urologista adverte que nesses casos deve-se o paciente imediatamente para uma emergência médica para que seja avaliado clinicamente e por exame de imagem. Quanto menor o tempo da torção, melhor o prognóstico para se manter o testículo viável no escroto. “O exame físico deve ser sempre realizado, mostrando uma bolsa testicular endurecida, avermelhada, aumentada de volume e o testículo afetado em posição discretamente mais elevada.  O exame diagnóstico considerado de eleição é o ultrassom doppler de bolsa testicular, pois ele é capaz de detectar a presença ou ausência do fluxo sanguíneo para o testículo”, explica.

Por que a torção testicular causa dor?

A torção testicular causa dor devido à torção do cordão espermático no próprio eixo, que por sua vez contém as estruturas vasculares que irrigam o testículo, gerando uma redução da entrada de sangue arterial e de oxigênio, chamada de isquemia testicular ou de infarto testicular. “A entrada de oxigênio para o testículo cessa ou diminui abruptamente e em poucos minutos a dor inicia”, pontua o Dr. Paulo.

Tempo de torção e prognóstico

O tempo para diagnóstico e tratamento cirúrgico é crucial para que o testículo afetado possa ser salvo. “O período ideal para realizar o procedimento é de até seis horas, com mais de 90% dos testículos salvos nesse prazo. A partir do momento que as seis horas são ultrapassadas, cada minuto conta, pois após 12 horas as taxas de sucesso podem chegar a apenas 20%, sendo virtualmente nula após 24 horas de torção”, frisa o médico.

Possíveis complicações

A torção de testículo pode levar à perda da glândula devido ao infarto testicular. Nesses casos, o testículo contralateral deverá sofrer naturalmente uma hipertrofia (aumento de volume) chamada vicariante, para suprir a falta do outro. “De qualquer forma, essa população deve sempre ser avaliada do ponto de vista da fertilidade”, destaca o urologista do Hospital VITA.    

Sintomas da torção testicular

Presença de um testículo mais elevado que o outro;

Dor intensa e repentina nos testículos;

Aumento da sensibilidade no escroto;

Dor na barriga ou nas virilhas;

Inchaço do saco escrotal;

Náuseas e/ou vômitos;

Febre.