O Instituto Sol, organização social que promove a inclusão de jovens de baixa renda em colégios particulares na capital paulista, está com inscrições abertas para o processo seletivo de 2022. O programa selecionará, até o dia 31 de março, estudantes do nono ano da rede pública de ensino ou da rede particular, desde que tenham estudado com bolsa integral, com o objetivo de promover seu acesso a uma trilha educacional de qualidade, com início no ensino médio e que se estende até a conclusão do ensino superior.

Os jovens aprovados têm acesso a um cursinho preparatório com aulas de português, matemática e redação durante cinco meses, no contraturno escolar. Ao final desse período, eles estão preparados para os exames de ingresso para cursar o ensino médio em dois dos melhores colégios particulares de São Paulo: Colégio Bandeirantes e Colégio Santa Cruz e, assim, tornarem-se um Jovem Sol.

“O processo de seleção do Instituto Sol abre portas da educação de qualidade para jovens ambiciosos e academicamente preparados, mas que, infelizmente, não contam com recursos suficientes para terem seus talentos desenvolvidos”, explica Camila Du Plessis, diretora executiva do instituto.

A organização social, que atualmente apoia 50 estudantes, é uma organização privada sem fins lucrativos, que oferece, com o apoio de parceiros, a oportunidade para que o Jovem Sol possa desenvolver seu potencial acadêmico, com assistência psicossocial, acadêmica e profissional. A meta da ONG é colaborar com a educação de 100 jovens.

A aluna Sabrina da Gama, de 15 anos, é uma das aprovadas para cursar o ensino médio no Colégio Bandeirantes. Para ela, “o Instituto Sol significa apoio incondicional e oportunidade. A luz no fim do túnel para jovens que acreditam na educação”. O Instituto já aprovou mais de 10 jovens no ensino superior em universidades como USP, UNICAMP, UNESP, Insper, Mackenzie, em cursos de medicina, engenharia, direito, economia, entre outros.

Os critérios para participar da seleção incluem o gosto pelos estudos, média escolar acima de 7, ambição profissional e pessoal, além do apoio das famílias. Outro pré-requisito é que a renda familiar não pode ultrapassar um salário mínimo e meio (R$1.815,66) por membro da família.

A primeira etapa de seleção acontece por meio do preenchimento de um formulário no site do Instituto. Neste endereço virtual também é possível doar e contribuir com o projeto.