A crise mundial provocada pela pandemia da Covid-19 acelerou e até hoje continua acelerando a transformação digital. Uma recente pesquisa da IDC revela que o investimento em Transformação Digital seguirá crescendo a uma taxa anual de 15,5% até 2023. Com isso, ainda em 2022, 70% das empresas terão acelerado o uso de tecnologias digitais, resultando em novas respostas e soluções, especialmente para os negócios. 

Como consequência, faz-se necessário que as empresas redefinam suas estratégias, incorporando a gestão da inovação como elemento-chave, integrando as operações e o capital humano em processos digitais e vice-versa. A gestão de inovação permite que as organizações aperfeiçoem seus processos a partir de ideias inovadoras e entregue produtos e/ou serviços de forma otimizada, sem a necessidade de retrabalho. 

Desenvolver um modelo de inovação organizacional é, hoje, essencial para conquistar maior competitividade no mercado e gerar vantagem competitiva. O estudo deste ano realizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), por meio da Mobilização Empresarial para a Inovação, demonstra que as empresas vêm entendendo e priorizando essa necessidade. Dados indicam que 61% das grandes organizações possuem pessoas dedicadas à inovação e 45% possuem orçamento – dois elementos que registram o ganho de comprometimento com a sistematização do processo.

Investimento em inovação por empresas da área de TI

De forma geral, inovar é fundamental para a sobrevivência de qualquer negócio, mas quando é uma empresa que atua no segmento de tecnologia, a inovação deve se fazer ainda mais presente. Isso porque, essa área conta com uma forte variação das necessidades dos consumidores e os concorrentes costumam criar novos modelos de negócios e produtos alternativos com uma frequência maior. 

A transformação constante e o intenso crescimento do setor tecnológico pressionam as companhias para que criem novidades sem perder a qualidade adquirida com o passar do tempo. Para solucionar esse desafio, empresas têm investido na criação de laboratórios de inovação, que tem como principal objetivo gerar mudanças – sejam elas em forma de novos produtos, serviços, ferramentas e negócios ou mesmo reformulando processos. A partir dos laboratórios de inovação é possível apostar em projetos e obter agilidade no processo de aprovação e implementação das ideias, como é o caso do Speedlab.

Prêmio de Inovação reconhece negócios brasileiros 

Com intuito de apoiar as instituições nesse processo, premiações como o Prêmio Nacional de Inovação, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae),  incentiva e reconhece os esforços em inovação de empresas que atuam no Brasil. Nesse caso, além da premiação, todas as empresas vencedoras poderão indicar representantes para participarem do Master em Business Innovation (MBI) e, ainda, comparecerem a imersões em ecossistemas de inovação nacional e internacional. 

Para Jonathan Santos, Diretor de Mercado da TecnoSpeed – instituição vencedora da 7ª edição do Prêmio Nacional de Inovação, na categoria Gestão de Inovação –  o reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido pelas empresas brasileiras é muito importante. “O período da pandemia foi de grande superação e a inovação foi a chave para essa transformação. A empresa dobrou de tamanho nesses últimos dois anos e isso só foi possível porque a gestão da inovação garante vantagem competitiva no mercado”, finaliza.