Segundo informação do Banco Central (BC) dada no dia 22 de dezembro de 2021, os gastos dos brasileiros no exterior alcançaram US$ 618 milhões em novembro do mesmo ano. Na comparação com o mesmo mês de 2020, o crescimento foi de 88% (US$ 329 milhões). Além disso, o resultado foi o mais elevado, a nível mensal, desde fevereiro de 2020 (US$ 881 milhões), antes da pandemia de Covid-19. Mesmo com o crescimento observado, as despesas no exterior não voltaram a um local mais intenso, mostrado no momento anterior à pandemia de Covid-19, superior a 1 bilhão por mês.

O crescimento dos gastos no exterior foi observado antes do surgimento da variante Ômicron – responsável pelo fechamento de viagens internacionais no mês de dezembro. O chefe-adjunto do Departamento de Estatísticas do BC, Renato Baldino, apontou que a Ômicron traz incertezas do cenário aguardado para viagens ao exterior nos próximos meses. “A se confirmar o que essa variante se mostra, podemos prosseguir na recuperação das despesas ou continuar caminhando lentamente. Esperamos que não seja grave”, declarou. No acumulado de 2021, as despesas de brasileiros no exterior alcançaram US$ 4,466 bilhões – queda de 11% ante o mesmo período de 2020 (US$ 5,024 bilhões).

Brasileiros no exterior enviam recorde de dinheiro ao Brasil

Ainda sobre a realidade de brasileiros vivendo fora do país – que podem contar com a ajuda de um tradutor juramentado para os seus documentos -, o BC aponta que, de janeiro a setembro de 2021, as transferências de pessoas oriundas de outros países e destinados ao Brasil somaram US$ 2,84 bilhões (R$ 15,9 bilhões), número mais elevado da série histórica iniciada e alta de 18% em relação ao mesmo período de 2020. Durante todo o ano de 2020, o país recebeu US$ 3,31 bilhões em transferências pessoais com origem no exterior, recorde para o indicador. Alguns fatores para isso podem ter sido a intensa desvalorização do real em relação ao dólar, euro e libra; economias de países desenvolvidos se recuperando mais rápido; alto desemprego no Brasil; nova leva de emigração de brasileiros (essencialmente aos EUA).

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o número de brasileiros no exterior passou da casa dos 4,2 milhões em 2020 – crescimento de 17% ante 2018. Desse número, 42% ou 1,78 milhões moravam nos EUA. Na sequência, aparece Portugal (276 mil), Paraguai (240 mil), Reino Unido (220 mil) e Japão (211 mil). De acordo com dados da Receita Federal, de janeiro a novembro de 2021, 15,5 mil brasileiros entregaram declarações de saída definitiva do Brasil ao Fisco. Durante todo 2020, foram 20,9 mil, apesar da pandemia de Covid-19. Entre os anos de 2017 e 2019, as declarações passaram de 23 mil ao ano – quase o dobro da média salarial de 12,8 mil declarações entregues nos seis anos anteriores.