O último ano foi um período difícil para empresas de diversos setores, mas para o setor de franquias, 2021 foi um ano de retomada. Segundo relatório anual realizado pela ABF (Associação Brasileira de Franchising), a receita das franquias no Brasil passou de R$ 167,187 bilhões em 2020 para R$ 185,068 bilhões em 2021. Trata-se de uma alta nominal de 10,7%, próxima ao número registrado em 2019, pré-pandemia, quando o faturamento foi de R$ 186,755 bilhões.

As informações foram divulgadas pela ABF em live que ocorreu no dia 16 de fevereiro, que também revelou que houve expansão em número de unidades, redes de franquia e de vagas de trabalho diretas.

Para Fabrício Fabene, proprietário da Realiza Software – empresa que atua com Desenvolvimento de Software de Gestão Empresarial (ERP) e Automação Comercial -, os ganhos representam uma recuperação consistente.

“O mercado de franchising tem se mostrado aquecido ao longo da pandemia de Covid-19, com números positivos em 2021 e boas previsões para 2022 ao mesmo tempo em que a crise sanitária acelerou o profissionalismo das empresas”, observa.

Quem não é profissional, não se mantém no mercado. “A maioria das empresas que fecham as portas são empresas desestruturadas. A vantagem de se ter uma franquia consiste justamente em já ter um know-how conhecido no ramo, na gestão e nos processos da empresa escolhida para representar a marca.”

Por outro lado, o profissional reforça que apenas 5% das unidades de franquias fecham antes de completar dois anos de operação, em referência a indicativos do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Ferramentas tecnológicas

Fabene afirma que há uma série de dificuldades e desafios na implementação de uma rede de franquias, sendo que uma das principais intempéries para um franqueador é ter fornecedores confiáveis e que mantenham o padrão de atendimento para qualquer local que a franquia se estabeleça.

“Muitos fornecedores só conseguem atender determinada área de atuação. A área de sistemas não se prende a uma região, podendo atender qualquer lugar do Brasil, e até fora dele, pois são feitos atendimentos, implantações e treinamentos de maneira remota”, diz.

Neste ponto, segundo o empresário, ferramentas tecnológicas são uma alternativa para mitigar eventuais problemas. “Outra grande dificuldade do franqueador é manter um sistema centralizado em que ele possa consultar a situação de suas franquias, como faturamento, estoque, entre outras consultas”.

Para facilitar a gestão, complementa, o franqueador deve contratar um sistema que atende redes de franquias, pois há particularidades bem diferentes em franchising com relação a unidades próprias de matriz e filiais, por exemplo.

 Ferramenta de ERP é opção para franqueadores e franqueados

O proprietário da Realiza Software destaca que, por uma série de razões, o uso de ferramentas de ERP (Enterprise Resource Planning, na sigla em inglês – Sistema de Gestão Integrado, em português) pode ser positivo, tanto para o franqueador quanto para seus franqueados.

“Uma ferramenta de ERP adequada deve ajudar a franquia a gerir a sua loja. O sistema deve ser de fácil manuseio e intuitivo, pois muitas franquias nada mais são do que pequenas empresas onde o proprietário não tem tempo para fazer a gestão, já que está na linha de frente da loja”, explica.

Ainda segundo Fabene, o ERP deve ajudar o franqueador a perceber quais são os pontos em que sua franquia deve melhorar, quais produtos não estão vendendo em determinada região, quais produtos a logística deve fazer a distribuição e como estão as metas de vendas, entre outros pontos.

“Quando explorados todos os seus recursos, uma ferramenta de ERP pode trazer ganhos para franquias de diversos segmentos e portes – mesmo em tempos de recuperação econômica, como este”, conclui.

Para mais informações, basta acessar: https://realizasoftware.com.br/