A Fundação Dom Cabral oferece a pós-graduação em Gestão de Negócios na Saúde, o Grupo Santa Casa de Belo Horizonte com seus 122 anos de existência, está proporcionando capacitação para 80 dos seus grandes líderes, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e outros profissionais de saúde, além de executivos e gestores.

A FDC está há 16 anos entre as melhores escolas de negócios do mundo pelo Ranking Financial Times de Educação Executiva, ocupando a 9º posição geral e a melhor escola do Brasil, com as premissas de inovação, aplicabilidade, interatividade e solução de problemas, alinhada a todas as perspectivas do aprendizado contínuo, o saber conhecer, conviver, ser e sobretudo o fazer, segundo a UNESCO.

No primeiro módulo do curso, foi abordada a visão sistêmica da saúde no Brasil e medicina baseada em valor.

Com objetivos bem específicos:

  • Compreender a Escola de Posicionamento e a contribuição de Michael Porter.
  • Compreender os conceitos de valor e cadeia de valor.
  • Compreender o ambiente de saúde no Brasil e os desafios para geração de valor
  • Analisar o ambiente competitivo da saúde brasileira e o comportamento da cadeia de valor.
  • A importância do domínio da gestão.
  • A visão sistêmica, a tomada de decisão e a reflexão sobre os dados.

E conceitos muito fortes:

  • Vantagem competitiva.
  • Economia de escala.
  • Eficiência operacional.
  • Posicionamento.
  • Experiência do paciente.
  • Medicina baseada em valor.

“Num cenário de incrível revolução silenciosa na saúde, com fusões, aquisições, verticalizações e luta pela sobrevivência e sustentabilidade, as instituições precisam se ajustar às novas situações e as novas exigências dos clientes internos e externos. Conseguir com recursos finitos, criar possibilidades infinitas”, comenta o Prof. André Chiga, que é médico palestrante, mentor sênior da Universidade Corporativa da ANADEM, presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Executivos (SOBRAMEX) e professor convidado da Fundação Dom Cabral.

Apesar de recursos escassos, o foco pode ser em eliminar os desperdícios, que infelizmente acontece e muito, talvez mais de 50% dos recursos sejam jogados no ralo, seja por ineficiência, mal uso ou realmente descaso.

Focar em gerar valor na saúde está sendo a grande estratégia. Obter os melhores resultados clínicos, oferecendo a melhor experiência ao paciente e com os melhores custos, esse é o conceito de Valor em Saúde.

Os principais pilares: segurança assistencial, uso eficiente dos leitos, redução de internações evitáveis e atenção centrada no cliente.

Os principais gargalos vividos são:

Não ter previsibilidade de custos
Não saber onde estão os focos de desperdício e como contê-los
Não ter informações de saúde com boa qualidade
Precisar melhorar os resultados do atendimento ao paciente
Precisar melhorar o desempenho e a eficiência da organização

“O desafio é aprender os conceitos, ajustar a cultura organizacional e treinar as equipes. E quem se beneficiará? Todos os pacientes, instituições e os profissionais. A saúde pública e privada agradecerá”, ressalta Dr. André Chiga.