Futsal Feminino: Federação sendo omissa, mas o lucro esta garantido

Futsal Feminino: Federação sendo omissa, mas o lucro esta garantido

O jogo entre Taboão X Tiger mostra mais uma vez o quão comprometida esta a federação com o futsal feminino

Finais dos campeonatos organizados pela Federação Paulista de Futebol de Salão – FPFS. 

Você pensa, que lindo, que fofo não? Casa cheia, dezenas de equipes e pessoas se confraternizando.

Mas nem tudo são flores.

Já acho horrível finais no ginásio da federação, sempre fui contra, as finais devem ser na casa de seus finalistas. Mas os clubes concordam, não é mesmo?

Mas vamos ao descaso, Taboão da Serra X Tiger/Corinthians jogão do sub-17 feminino. Marcado inicialmente para as 21h30, mas devido aos atrasos de todos os jogos, começou as 23h.

Ai começa a ficar interessante. A partida de futsal feminino por protocolo de segurança assim como em qualquer jogo, deveria ter uma ambulância de plantão, certo? Errado. 

Durante os jogos do masculino a referida ambulância estava la, mas as tantas da noite, no jogo do sub-17 feminino não.

Que coisa não, mas diriam outros, nada aconteceu hoje, não ira acontecer agora, mas não é que aconteceu.

A atleta Tuca, do Futsal Taboão, sofreu com um desmaio, algo que sob qualquer hipótese já requer atenção e cuidados. Logo onde estava a ambulância, opa…não havia ambulância. Fazer o que?

Liguemos ao SAMU, e nada de resposta. O que fazer em meio a aflição da família da atleta ali preocupada? Viram a comissão técnica do time de Taboão, socorrer com os pais da atleta em carro particular e a levar a um hospital/unidade de saúde.

Graças a DEUS, a atleta passa bem. Mas o que aprendemos aqui?

A nobre e imponente federação é rigorosa ao cobrar taxas e valores, mas e o que os clubes, sócios da empresa federação recebem em troca? Neste caso, claramente o desrespeito.

Não adianta, o futebol/futsal feminino não é respeitado, as entidades só o utilizam para fazer média política. O mínimo que deveria ter feito é se não há empresa para disponibilizar ambulância que não seja realizada a partida.

Quanto vale a vida de alguém? Vale mais do que o lucro? Do que a soberba de ostentar um título ou condecoração?

Diga isso a família do Serginho, naquela tragédia fatídica no Morumbi.

Diga isto aos familiares dos garotos do Ninho do Urubu.

A arrogância e prepotência de dirigentes e federações desrespeitam o esporte, brincam com a vida de atletas que alimentam sonhos, lutam por algo maior que uma medalha, lutam por sobrevivência.

A mulher no esporte, ainda mais no futsal, é mais que uma atleta é um estandarte pela liberdade e igualdade. E como ela é tratada? Com descaso.

Parabéns aos envolvidos, gostaria de saber o tamanho da multa e punição das equipes se elas se recusassem a jogar devido a falta de uma ambulância, pois é assim que dirigentes tratam, em sua maioria, a vida.

E parabéns a estas jovens guerreiras do Taboão e do Tiger, que ainda irão se encontrar para completar os 13 minutos que restam da partida na luta pelo título.

Lembrando também que é evidente que a Federação ira apresentar uma super bem formatada nota de explicação ao ocorrido que provará que ela não teve culpa alguma não é mesmo, afinal, não há como brigar com o poder deles.

E como o ESPORTESNET prega em sua campanha #SimSomosTodosIguais