Preso financeiramente, o clube opta pela saída de seu maior ídolo após 21 anos

Messi se despede como recordista de jogos, gols, assistências, hat-tricks e títulos na história do Barcelona. Ídolo absoluto

Depois de 778 jogos, 672 gols, 305 assistências e 35 títulos, a história de Lionel Messi no Barcelona chegou ao fim.

O clube catalão anunciou nesta quinta (5), em nota oficial, que o contrato, encerrado no final de junho passado, não será renovado. O motivo, são questões financeiras.

Segundo o periódico Marca, o problema tem a ver diretamente com o novo acordo proposto por Javier Tebas, presidente da liga espanhola.

O contrato, que pagará €270 milhões, compromete o clube a, no mínimo, 40 anos na Liga.

O Barça, por sua vez, se mantém no projeto da nova SuperLiga, projetado pelo rival Real Madrid, que trará cifras maiores e fundamentais aos cofres do clube.

Sem o acordo com La Liga assinado, o Barça não teria como encaixar a renovação com Messi no Fair Play financeiro.

Logo, a situação se tornou uma escolha direta entre o ídolo argentino ou o projeto que poderá salvar as finanças do clube no futuro. Messi perdeu a queda de braço.

O futuro do argentino

Já Messi, que gostaria de renovar com o clube, se torna agora uma incógnita.

A novela se arrasta há cerca de um ano e sempre teve como principais concorrentes Manchester City e Paris Saint Germain.

Neste momento, um acerto com os parisienses parece mais provável – Messi, nesta semana, apareceu em Ibiza com os amigos Neymar, Paredes, Di Maria e Verratti, todos jogadores do PSG.

Além disso, o City confirmou ontem (4) a contratação do meia Jack Grealish, ex-Aston Villa, por 100 milhões de euros, e ainda busca acerto por Harry Kane, do Tottenham. Ainda assim, o fator Guardiola, a força da Premier League e a rede de clubes com equipe na MLS podem fazer a diferença.

Existem ainda, expectativas mais romantizadas como a de uma volta ao futebol sul-americano – Messi já expressou vontade de defender o Newells Old Boys, de sua cidade natal, Rosário, em uma Libertadores da América.

Seja como for, o argentino, aos 34 anos e recém campeão da Copa América ainda tem lenha pra queimar. Um novo título da Liga dos Campeões e a Copa de Mundo no Qatar parecem ser os objetivos do momento.

O futuro de Barça e La Liga

Já a liga espanhola e o Barcelona terão de se reinventar. Messi, desde que virou o camisa 10 blaugrana em 2008 é uma estrela sem tamanho no campeonato.

Perdê-lo, sem dúvidas, fará Javier Tebas coçar a cabeça. Já o Barcelona se mostra ainda mais obrigado a seguir uma renovação. Neste sentido, a permanência de Ronald Koeman deverá ser colocada em cheque nos próximos dias.

O clube não tem caixa para se reestruturar no mercado e o trabalho nas categorias de base passa longe de um bom momento.


Seja como for, chega ao fim um dos maiores capítulos da história do futebol.

Um casamento fantástico, que colocou tanto Messi como Barcelona no topo do mundo e nos livros da história, e que, como tudo na vida, chegou ao seu final.

Deixe seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.