CATS, 34 anos

CATS, 34 anos

34 anos de lutas, histórias e desafios vencidos pelo Tricolor da Serra

Tenho um orgulho em minha vida: ter vivido por quase 15 anos trabalhando pelo Clube Atlético Taboão da Serra (CATS), o Tricolor da Serra.

Fundado em 12 de dezembro de 1985, por Odair Meneguethi e Domênico Celestino Foligno, este clube me proporcionou experiências únicas.

Uma das melhores foi no ano de 2004, vice-campeão dos jogos regionais com o futsal feminino, muitos diriam, grande coisa, mas para mim foi uma guerra este vice.

No mesmo ano, conheci, convivi com Dom Pedro Rocha, um dos maiores jogadores do planeta, que disputou quatro copas do mundo e foi o diretor de futebol do clube no ano de sua profissionalização em 2004. 

Resultado? Com o filho Pedrinho Rocha no comando e contando com Ralf (Corinthians), Sidão (Vasco) o CATS foi campeão paulista da Série B (Quarta Divisão), que momento.

E no futsal glórias mil, o título do metropolitano de 2001, último do craque Bil jogando, foi inesquecível, guardo a medalha como uma joia.

O CATS vive no coração de tantos que lotam o estádio na Copinha e das testemunhas que acompanham o clube no paulista.

Hoje ainda vivo o CATS, celebro o CATS, mas pela Rádio ESPORTESNET, transmitindo e noticiando o clube e suas novidades.

Tive a honra também de ser o responsável pela confecção do selo dos 30 anos do clube.

Através do meu carinho pelo clube, da Rádio ESPORTESNET e do Marcelinho S/A, demos ao clube, em 2017, o seu hino oficial, depois de tanto tempo.

Imagem divulgada pelo clube em alusão ao seu aniversário

Quanto orgulho poder dizer que fiz 0,000001% do que o clube tem em sua história. Gostoso ser lembrado pelos atletas e membros do clube.

A região cresceu, mudou, agora, nos esportes amadores, o século XXI fez surgirem mais dois novos clubes.

Mas a poesia das linhas daqueles que lutaram e derramaram seu suor, desde os tortuosos anos 80, até hoje, em pleno século XXI.

O que estes novos tempos reservam ao CATS? Não sei, mas de uma coisa sei: sempre torcerei por todos da região, mas o CATS tem um lugar especial demais em meu coração…

E como diria o narrador Murilo Franco: Toca a música do Taboão da Serra…