Vice-campeão jamais passou de 74 pontos

A história do Campeonato Brasileiro mostra que um vice-campeão jamais passou dos 74 pontos. Com o triunfo por 1 a 0 sobre o Athletico-PR, em Curitiba, o Atlético-MG chegou aos 71 pontos – a não ser que estejamos em um ano de pontuações inéditas, o Galo historicamente está a duas vitórias de confirmar a quebra de um jejum que já dura 50 anos: 77 pontos foram suficientes para garantir o título em todas as edições do Brasileirão por pontos corridos. O gol alvinegro foi marcado pelo argentino Zaracho, depois de ótima jogada de Keno.

O Galo não fez uma grande exibição, mas foi o suficiente para vencer o time reserva do Athletico-PR. A equipe local decide a Sul-Americana no sábado, com o Red Bull Bragantino, e o foco está todo na competição continental. O Atlético-MG, que não tem nada a ver com isso, aproveitou a situação e já conta as horas para gritar “é campeão”.

Quem foi bem: Keno

O atacante menos badalado do trio ofensivo do Atlético-MG, Keno foi quem esteve melhor diante do Athletico-PR. O camisa 11 sempre colocou a bola no chão e tentou jogar. Foi dele a jogada que originou o gol de Zaracho. Keno ainda deu um belo passe para Hulk fazer outro, mas o gol foi anulado por impedimento. Não fosse a trave, Keno também deixaria o dele em Curitiba.

Quem foi mal: Diego Costa

Desde que chegou ao Atlético, o centroavante fez sua pior partida com a camisa alvinegra. Nas poucas vezes que recebeu a bola, Diego Costa não conseguiu dar sequência nas jogadas. Brigou bastante com os zagueiros do Athletico-PR, mas não foi o suficiente para salvar a atuação na Arena da Baixada. Fez mais faltas do que finalizou e foi amarelado na confusão com Zé Ivaldo.

O jogo do Athletico-PR: Foco já estava no sábado

Com foco total na final da Copa Sul-Americana, o Athletico-PR escalou apenas reservas. Diante do líder do campeonato, a estratégia foi uma só: defender. E deu certo até os minutos finais do primeiro tempo. O jogo seguia empatado sem gols e o Galo não tinha criado boas chances ainda. Mas a defesa não impediu o gol de Zaracho após boa jogada de Keno. E, mesmo com o resultado adverso, o Furacão manteve a estratégia: time fechado e jogando por um contra-ataque.

O jogo do Atlético-MG: Time ansioso em campo

A cada rodada o Galo fica mais próximo de conquistar o tão sonhado Campeonato Brasileiro. Até por isso o time alvinegro tem mostrado uma ansiedade acima do normal em algumas situações. Foi o caso do confronto com o xará paranaense. O Atlético não fez um bom jogo. Venceu, o que era o mais importante, mas não foi com a facilidade que se imaginava diante de um adversário apenas com jogadores reservas

Cronologia do jogo

O Atlético venceu com gol do Zaracho, aos 44 minutos do primeiro tempo, após assistência de Keno. No segundo tempo o Galo até fez outro gol, com Hulk aos 7 minutos, mas o atacante estava impedido. Aos 19 Keno acertou a trave.

Cuca manteve o trio nordestino

O que deu certo diante do Corinthians foi mantido para o jogo com o Athletico-PR. O trio formado por Keno, Hulk e Diego Costa, todos nascidos no nordeste brasileiro, foi mantido por Cuca. Mas em Curitiba o ataque não foi tão bem como na partida do Mineirão. Keno foi quem se destacou, mas nenhum deles terminou o jogo.

Zé Ivaldo fez hora extra?

O Atlético-MG reclamou demais da falta de cartão para Zé Ivaldo. O zagueiro do Athletico-PR deu um pisão em Keno, mas a falta não foi marcada, e pouco depois derrubou Hulk, ao lado da área. O camisa 27 do Furacão não recebeu o cartão amarelo em nenhum dos lances e deixou os jogadores alvinegros reclamaram bastante com o árbitro Savio Pereira Sampaio.

Clima quente no campo

Num intervalo inferior a quatro minutos o tempo fechou duas vezes no gramado. Primeiro numa confusão entre Diego Costa e Zé Ivaldo, mas apenas o jogador do Galo foi amarelado. Depois foi a vez de Jair tirar satisfação com Carlos Eduardo por causa de uma falta mais dura em Allan. Um amarelo para cada lado para acalmar os dois times.

E também nas cadeiras

Mal a bola rolou no começo do segundo tempo e o jogo parou. Desta vez por confusão fora de campo. As torcidas do Athletico-PR e do Atlético-MG começaram a brigar no anel superior da Arena da Baixada. A partida ficou parada por cerca de dois minutos e só recomeçou depois que os guardas do estádio e a Polícia Militar controlaram os ânimos de athleticanos e atleticanos.

Athletico-PR 0 x 1 Atlético-MG

Data: 16/11/2021
Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF)
Assistentes: Daniel Andrade e Jose Nascimento Junior (DF)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Gols: Zaracho aos 44 minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Carlos Eduardo (CAP); Diego Costa e Jair (CAM)

Athletico-PR: Bento, Lucas Fasson, Zé Ivaldo e Nicolas (Pedrinho, aos 28 do 2º); Khellven, Marcio Azevedo (Erick, aos 35 do 2º), Juninho, Christia Roberto e Jader (Janderson, aos 21 do 2º); Carlos Eduardo (Guilherme Bissoli, aos 21 do 2º), Pedro Rocha (Rômulo, aos 35 do 2º), . Treinador: Alberto Valentim.

Atlético-MG: Everson, Guga (Mariano, aos 43 do 2º), Réver, Nathan Silva e Dodô; Allan (Igor Rabello, aos 41 do 2º), Jair e Zaracho; Keno (Dylan Borrero, aos 33 do 2º), Hulk (Sasha, aos 41 do 2º) e Diego Costa (Nathan, aos 33 do 2º). Treinador: Cuca

Deixe seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.