Agora é oficial: nesta sexta-feira (18), Sérgio ‘ Max Verstappen são a dupla da Red Bull ano que vem

Alexander Albon, titular do time em 2020, será piloto reserva e de testes na próxima temporada.

Pérez, que completará 31 anos no próximo dia 26 de janeiro, havia sido dispensado pela Racing Point no mês de agosto e desde então não tinha vaga garantida no grid da próxima temporada. O mexicano possui 191 GPs na Fórmula 1 por Sauber (2011-12), McLaren (2013), Force India (2014-18) e Racing Point (2019-20), com 4 voltas mais rápidas e 10 pódios, além da espetacular vitória inédita no GP de Sakhir, penúltima etapa do campeonato de 2020. Desde 2011 no grid, Checo é visto como um dos pilotos mais competentes na categoria a não ter obtido chances em equipes de ponta. A chance aparece agora.

Briga pelo título com dupla forte: os sonhos da Red Bull

Com Pérez, a Red Bull muda seu rumo. Afinal, o mexicano é o primeiro piloto não-formado pelo programa de jovens pilotos da companhia a ser contratado desde Mark Webber, no já longínquo ano de 2007. Além do australiano e de Checo, apenas David Coulthard, esse trazido no ano de estreia da equipe, 2005, foram os “estrangeiros” na história da equipe. A mudança de filosofia não é aleatória: Christian Horner, Helmut Marko e a cúpula diretiva do time buscam mais consistência no segundo carro da equipe após as passagens frustradas de Pierre Gasly e Alexander Albon. A pressão instituída pelo próprio Marko, o tempo irrisório de adaptação para os jovens – ambos com apenas 22 anos quando assumiram a vaga – e o comportamento nervoso do bólido, feito para a pilotagem de Verstappen acabaram dizimando os resultados e fazendo com que a briga da equipe contra a Mercedes acabasse sendo de um único carro contra dois.

Apostando na quilometragem e na experiência de Pérez, o time austríaco busca justamente um ponto de confiança no auxílio a Verstappen na luta contra Hamilton e Bottas. O mexicano, claro, jamais teve comportamento de “escudeiro” e tampouco deverá se submeter a este papel, mas a tendência é que a atenção principal dentro de Milton Keynes continue sendo Max. De toda forma, Checo tem pontos fortes que poderão o auxiliar na briga por pódios e vitórias, sobretudo no gerenciamento dos pneus, característica impecável do mexicano. Resta ver como será a dinâmica entre a dupla e se trará resultados na pista.

Com uma vitória e dez pódios na bagagem, Pérez tem maior chance da carreira na Red Bull (Foto: GIUSEPPE CACACE/Getty Images)

Toto renova com a Mercedes e INEOS compra ações do time

A outra grande notícia da sexta feira ficou a cargo da heptacampeã Mercedes. Toto Wolff, chefe de equipe e principal comandante da maior dinastia da história da categoria renovou contrato por mais 3 anos, além de assumir papel como CEO da equipe. Isso porque a INEOS, gigante britânica no ramo da engenharia química, anunciou hoje a compra de 1/3 das ações do time, deixando as outras duas fatias divididas entre a Daimler AG, proprietária da marca Mercedes-Benz, e o próprio Wolff. A renovação com Wolff indica um acordo cada vez mais próximo com Lewis Hamilton para que o heptacampeão se mantenha na categoria, além de uma porta estratégica de retirada da própria Mercedes da F1, uma vez que conversas sobre a sobreposição pela INEOS houveram na ‘Rádio Paddock” ao longo de 2020. À ver as cenas dos próximos capítulos.

INEOS iniciou parceria com a Mercedes em 2020 e agora é sócia da equipe alemã

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.