Times brasileiros conhecem seus próximos rivais na Libertadores e na Sul-Americana

Times brasileiros conhecem seus próximos rivais na Libertadores e na Sul-Americana

13/05/2019 0 Por Vinicius Batista

Nesta segunda-feira (13) ocorreu o sorteio da fase de oitavas de final da Libertadores e da segunda fase da Copa Sul-Americana, na sede da CONMEBOL, em Luque, Paraguai.

Os confrontos da Copa Sul-Americana foram os primeiros a serem definidos. Quatro equipes brasileiras estão na competição: Atlético-MG, Botafogo, Fluminense e Corinthians.

O Fluminense foi o primeiro time brasileiro a ser escolhido e vai enfrentar um adversário cascudo. A equipe carioca pega o Atlético Nacional-COL, que recentemente foi campeão da Libertadores e da Recopa Sul-Americana. O outro carioca envolvido no sorteio foi o Botafogo, que terá o Sol de América, do Paraguai, como rival.

Um dos oito terceiros colocados da Libertadores, o Atlético-MG duela contra o Unión La Calera, do Chile.

Por fim, o Corinthians foi emparelhado diante de um velho conhecido – o Deportivo Lara, da Venezuela. O Timão massacrou seu adversário da última vez que o enfrentou: venceu por 7 a 2, em partida válida pela Libertadores de 2018.

Libertadores

As seis equipes brasileiras figurantes na competição mais importante da América, a Libertadores também conheceram seus oponentes, assim como o chaveamento final.

Palmeiras e Cruzeiro, que tiveram as melhores campanhas da fase de grupos da Libertadores, jogam contra times argentinos. O primeiro enfrenta o Godoy Cruz e o segundo o tetracampeão River Plate.

Athletico Paranaense e Grêmio enfrentarão novamente um dos seus integrantes na quarta fase. O atual campeão da Sul-Americana duela contra o Boca Juniors e o Grêmio pega o Libertad.

Para completar, o Flamengo disputa a vaga nas quartas contra o Emelec-EQU e o Nacional -URU é o próximo obstáculo do Internacional.

Chaveamento pode colocar brasileiros frente a frente

O sorteio da Libertadores também definiu a tabela final da competição, que trouxe surpresas aos presentes. É possível ter, de um lado da chave, uma quartas de final inteira de times brasileiros. No entanto, uma final com superclássicos, como Grêmio e Inter e River e Boca está descartada, porque tais equipes estão do mesmo lado de suas respectivas chaves.