Seleção Brasileira Feminina de Futebol, Um Time de Mulheres Maravilhas.

Seleção Brasileira Feminina de Futebol, Um Time de Mulheres Maravilhas.

10/06/2019 0 Por

Recordistas e maior visibilidade. Tudo que nossas meninas precisavam para deixar sua marca na história do futebol.

Se no futebol masculino, superação é bem comum, no futebol feminino não ficamos para trás.

Afinal, nessa oitava edição do torneio, as mulheres terão maior visibilidade (e que visibilidade), investimento maciço de grandes empresas, e cobertura televisiva de emissoras abertas.

A expectativa de público e audiência são bastante animadoras, e mais que a metade dos ingressos já foram vendidos.

Não bastasse isso, teremos recordistas na competição. Melhor ainda, na nossa.

A começar pela nossa Rainha Marta, eleita a melhor jogadora de futebol do mundo por seis vezes, um recorde entre mulheres e homens. Sem contar que essa guerreira é a maior artilheira de todas as Copas.

Mesmo não estando presente na partida de estréia (ao menos dentro de campo), Marta estava lá no banco de reservas apoiando nossas mulheres transmitindo confiança e alegria, porque é isso que um ídolo faz.

Uma de nossas principais referências, Cristiane, é a maior artilheira olímpica da história dos jogos, com 14 gols marcados.

Com toda essa ginga e histórico recente de superação que a trouxe de volta à seleção depois de nove jogos,  nossa camisa 11 marcou três gols na estréia de ontem contra o Jamaica, chegando aos 10 gols em Copa do Mundo.

Com esse hat-trick que pelo visto é coisa de “Cris”, ela se igualou ao nosso lendário Leônidas da Silva, que também marcou três gols na estréia da Copa do Mundo de 1938.

Veterana

Calma, que não para por ai. Acharam mesmo que eu ia me esquecer da titia do grupo?

Formiga, a mais velha jogadora de futebol em atividade no mundo, com 41 anos, participa de sua sétima Copa do Mundo, número recorde entre homens e mulheres.

E detalhe, em grande forma física. Praticamente o Zé Roberto do futebol feminino.

Eita, mas essas nossas mulheres hein? Não é justo o título da matéria?

Superação

Dentro de campo, vimos um Brasil alegre e aguerrido, que poderia facilmente ter ampliado o placar por diversas vezes.

O destaque do lado Jamaicano foi para a goleira Sydney Schneider, que foi muito bem individualmente.

Apesar das falhas individuais e coletivas, nossas meninas foram muito bem para quem vinha de um histórico bastante negativo.

Na quinta-feira enfrentaremos nosso algoz, a Austrália, que vem de uma derrota para a Itália na estréia.

Você tem dúvida de que será um jogão?

Se tiver Marta então…

Fique por dentro no ESPORTESNET