RECOVERY: O fim das dores após treinos e competições!

RECOVERY: O fim das dores após treinos e competições!

03/07/2019 0 Por ESPORTESNET

O fisioterapeuta Dr. Edson Santiago fala sobre o Recovery, tratamento inovador no combate às dores decorrentes após atividades de alta intensidade.

O Recovery (recuperação) é uma modalidade muito utilizada por atletas de elite e amadores competitivos.
 
Tem a função de recuperar o esportista para que ele esteja pronto para o próximo treino ou competição.
 
Após treinos de grande intensidade ou competições, é muito comum sentir dores musculares, as chamadas DMIT (dor muscular de início tardio), que costumam se iniciar após oito horas podendo permanecer por até uma semana, tendo seu pico nas primeiras 24 ou 48 horas.
 
Essas dores são resultantes de micro lesões musculares ocasionadas pela atividade física proposta.
 
O Recovery tem o intuito de acelerar a recuperação muscular e diminuir os sintomas.
 
“Após uma alimentação saudável, um bom descanso e uma sessão de Recovery, o atleta está pronto para mais um treino”, explica o fisioterapeuta especializado na técnica, Dr. Edson Santiago.
O Recovery utiliza três técnicas básicas, sendo:
Liberação Miofascial – consiste em técnicas que diminuem a contratura muscular, auxiliando no relaxamento do músculo e, por consequência, melhorando o movimento e a função.
 
Eletroterapia – tem a função de minimizar a dor, aumentar o fluxo sanguíneo local e maximizar a recuperação tecidual.
 
Crioterapia – diminui a dor, melhora a fadiga e o desempenho no dia seguinte, sendo indicada em aplicações de 11 a 15 minutos, logo após o exercício intenso.
 
Apesar de não haver estudos muito robustos sobre o Recovery na prevenção de lesões, o ideal é que se procure o fisioterapeuta não apenas quando já se está com dor.
 
“Como as dores têm início após as primeiras oito horas, é indicado procurar o profissional logo após a atividade, com o intuito de prevenir as dores tardias.
 
Vale a pena lembrar que não só os atletas profissionais podem se beneficiar do Recovery, mas também os amadores e recreacionais.
 
“Não existe tempo ideal do protocolo de Recovery, ou seja, um tempo de duração exato do tratamento, e pode ser utilizado sempre após competições ou treinos mais intensos”, completa o Dr. Edson.