Para o lugar de Vadão, o nome da vez pode ser Pia Sundhage

Para o lugar de Vadão, o nome da vez pode ser Pia Sundhage

CBF alimenta ideia de contar com Pia para o lugar de Vadão. Bi campeã olímpica já demonstrou interesse em trabalhar com a seleção canarinho.

Ela é um dos grandes nomes do futebol feminino, não há o que discutir. 

Mas Pia Sundhage não é o pote de ouro do futebol feminino nacional. Ela não vem para resolver todos os problemas.

Não há dúvidas de que ela agregará muito ao desenvolvimento do futebol feminino nacional.

Defendo a vinda dela, mas também devemos ficar com o olho aberto para todos os problemas que a modalidade passa.

Falta de categorias de base, falta de um campeonato nacional organizado, estrutura administrativa para a seleções.

O Brasil engatinha no futebol feminino, falta muito, mas é inegável de que o conhecimento de Pia iria agregar demais a nós.

As conversas agora dependem de Caboclo, presidente da CBF para ver se a Sueca aceita treinar o Brasil.

Ela já foi duas vezes campeã com os EUA e vice olímpica com a Suécia na Rio 2016.

Que sua vinda, seja uma luz de uma profunda reestruturação a longo prazo do futebol feminino.