A+ R A-

Em 30 de Junho de 2002, nos tornávamos Penta

 

Brasil Campeao 2002 ESPORTESNET 001

“A seleção da superação”

     Nunca na história das Copas o mundo viu uma seleção que tenha se superado de maneira tão épica e exemplar quanto o Brasil de 2002. Vice-campeão da Copa de 1998, quando levou um vareio histórico da super França de Zidane, o Brasil viveu anos de decepções, derrotas lastimáveis (Honduras, lembra-se?) e um futebol bem abaixo da média. Para piorar, Ronaldo, o maior craque do futebol nacional da época, vivia um drama pessoal sem precendentes, com contusões e a incerteza de seu retorno aos gramados. E tinha mais: o Brasil penava nas eliminatórias e vivia pela primeira vez em sua história o risco de ter que acompanhar a Copa pela TV. O torcedor brasileiro parecia não acreditar. O time do futebol arte, da beleza e dos dribles parecia ter esquecido como protagonizar e fazer arte em campo. Mas a turbulência, felizmente, foi passageira. Ronaldo, e o Brasil por inteiro, se recuperaram, a seleção repetiu o feito do Brasil de 1970 e venceu todos os jogos da Copa de 2002, faturando o inédito pentacampeonato. O time que se uniu na “Família Scolari” formou a seleção brasileira mais unida da história. Sem polêmicas, sem dancinhas, sem firulas. O Brasil de 2002 jogou bola, teve raça e muito amor à camisa. O Imortais relembra agora a façanha da última seleção brasileira que fazia seu torcedor ter orgulho e parar para vê-la em campo.  

Cartaz Copa 2002 Futebol ESPORTESNET


Chamem os bombeiros! Ou melhor, Felipão.

     Após a derrota para a França na Copa do Mundo de 1998, o Brasil viveu dramas. Muitos dramas. Passaram pelo comando da equipe Vanderlei Luxemburgo, Candinho e Emerson Leão, mas nenhum conseguiu dar uma cara à equipe. A cada jogo, uma decepção, uma derrota, e muitas vaias. A torcida perdia cada vez mais a paciência, dava de ombros para a equipe e não via esperanças no futuro. Foi então que em 2001 chegou ao comando da equipe o técnico Luiz Felipe Scolari, conhecido pelo temperamento forte e também por ter estrela e inúmeros títulos por Criciúma, Grêmio e Palmeiras. O treinador tinha a missão de apagar o “fogo” que consumia a seleção e levar a equipe à Copa do Mundo de 2002. Mas a tarefa não seria nada fácil. Logo de cara, Felipão comandou a seleção em um vexame, na Copa América de 2001, quando o Brasil foi eliminado nas quartas de final para a inexpressiva Honduras, ao perder por 2 a 0. O técnico disse, à época: “podem me colocar no Guiness Book, eu perdi para Honduras”. Aquele era o momento mais grave da trajetória do Brasil, que ia muito mal nas eliminatórias e corria o sério risco de não ir à Copa. Porém, Felipão conseguiu recuperar a equipe, fechou o grupo e começou a reação.

     Em agosto de 2001, o Brasil derrotou o Paraguai, por 2 a 0, gols de Marcelinho Paraíba e Rivaldo, e respirou um pouco. No duelo seguinte, derrota para a Argentina por 2 a 1, em Buenos Aires. Em seguida, Edílson e Rivaldo deram a vitória por 2 a 0 em cima do Chile. Em novembro, nova derrota, 3 a 1, para a Bolívia, em La Paz. O Brasil ia para a última rodada das eliminatórias com a obrigação de vencer a fraca Venezuela, em São Luís (MA), se quisesse ir para a Copa sem depender de repescagem ou até ficar de fora. Focado e determinado, o time despachou os venezuelanos logo no primeiro tempo, com dois gols de Luizão e um de Rivaldo: Brasil 3×0 Venezuela. Para alívio da nação, o Brasil estava na Copa de 2002. A campanha da seleção foi mediana: nove vitórias, três empates e seis derrotas em 18 jogos, com 31 gols marcados e 17 sofridos. O time ficou na terceira posição, atrás de Argentina (líder, com apenas uma derrota) e Equador. Mesmo na Copa, o Brasil ainda não era unanimidade. E a torcida não apostava nem um tostão em um título mundial.

      A Copa do Mundo de Futebol de 2002 foi realizada no Japão e na Coreia do Sul entre os dias 31 de maio e 30 de junho. Contou com a participação de 32 seleções.

     Dados da Copa do Mundo de Futebol de 2002

     Seleções participantes: Dinamarca, Senegal, Uruguai, Espanha, Paraguai, África do Sul, Eslovênia, Brasil, Turquia, Costa Rica, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Portugal, Polônia, Alemanha, Irlanda, Camarões, Arábia Saudita, Suécia, Inglaterra, Argentina, Nigéria, México, Itália, Croácia, Equador, Japão, Bélgica, Rússia, Tunísia.

     Campeão da Copa de 2002: Brasil
     Vice: Alemanha

     Gols marcados durante o campeonato: 161 (média de 2.5 gols por partida)

     Curiosidade:
     A Copa do Mundo de 2002 teve 3 mascotes: Ato, Kaz e Nik (criaturas do futuro).

Brasil 2002 Escalacao ESPORTESNET

Jogo da Final:
Brasil 2 x 0 Alemanha (Estádio Internacional de Yokohama - Japão)

- Público de 69.029 espectadores
- Árbitro: Pierluigi Colina (Itália)

Artilheiro da Copa de 2002: Ronaldo com 8 gols
Melhor jogador escolhido pela FIFA: Oliver Kahn (goleiro da seleção alemã)
Jogos do Brasil:
1ª Fase: Brasil 2 x 1 Turquia / Brasil 4 x 0 China / Brasil 5 x 2 Costa Rica
2ª Fase (oitavas de final): Brasil 2 x 0 Bélgica
Quartas-de-final: Brasil 2 x 1 Inglaterra
Semi-final: Brasil 1 x 0 Turquia

Final: Brasil 2 x 0 Alemanha

Campanha do Brasil: 7 jogos / 7 vitórias / 0 derrota / 18 gols pró / 4 gols contra
Colocação do Brasil: 1º - Campeão

 

 

 

Tabela Copa 2002 ESPORTESNET